Blog da Folhinha

Um espaço de interação com a criança

 

Como fazer uma tempestade?

Foto Divulgação

O diretor Cesar Cabral em seu estúdio


Um mar separa um navegante solitário de sua amada no curta "Tempestade", dirigido por Cesar Cabral. Ele será uma das três animações exibidas no Festival Cultura Inglesa, que acontece de 5 a 23 de maio em São Paulo.

O curta foi inspirado numa canção dos Beatles, chamada Eleanor Rigby, e também na obra do pintor inglês William Turner. Na Folhinha de amanhã você descobre passo a passo como foram feitas as cenas da tempestade, que deram um trabalhão.

Leia a entrevista com o diretor no seu estúdio, em que participaram crianças do colégio Renovação.

Quanto tempo demorou para fazer o filme?

Esse filme é curto, tem oito minutos, foram alguns meses. Mas a gente conseguia fazer cinco ou seis segundos do filme por dia; às vezes, só dava para fazer dois segundos.

Como funciona a animação “stop motion”?
Com o boneco parado, a gente vai tirando fotinho a fotinho de cada movimento. Se ele demora um segundo para levantar um braço, são feitas 12 fotos para mostrar esse movimento. Mas, às vezes, ele está levantando o braço, virando a cabeça e piscando o olho na mesma hora. Temos que pensar em tudo isso.

Como foi feito o boneco?
Ele tem um esqueleto de ferro, que ajuda a gente a colocá-lo na posição certa, e ele fica parado. Dá para manipular um pouco a barba, a sobrancelha e a boca. Assim, ele fica mais bravo ou mais triste, por exemplo.

Escrito por Gabriela Romeu às 19h14

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Troca-troca de cartas

Fotos Inês Calixto

Comunidade de Gilé, Moçambique

A Folhinha de 3/4 mostrou um pouco da infância das crianças do vilarejo de Gilé, em Moçambique. As crianças do Brasil ficaram curiosas para saber mais e enviaram cartas à turminha da África. Elas ficaram contentes com a iniciativa e responderam logo. Confira abaixo o troca-troca de cartas:

CARTAS DO BRASIL

"Queridos amigos,
Gostaríamos de saber como é a escola, a sala de aula e a professora daí. Ficamos muito tristes quando nossa professora leu a reportagem [da Folhinha] e ficamos sabendo que vocês comem ratos e cupins. Como podemos ajudá-los?"
Alunos do 1º ano A e da professora Rosirene, da escola municipal Professora Lucinda Araújo Pereira Giampietro, de Birigui (SP)

++

"Ficamos impressionados com a história de vidas de vocês. Pensamos se não há a possibilidade do cultivo da terra para vocês plantarem verduras e legumes? Gostamos do brinquedo feito de argila e estamos sugerindo brinquedos de papel chamado de dobradura, vocês conhecem? Gostamos muito de futebol. E vocês praticam esportes? Estamos aguardando ansiosos as respostas de vocês! Parabéns pela reportagem equipe da Folhinha!"
Alunos da 3ª série 5 do colégio Navarro de Andrade, na cidade de Adamantina (SP) 

++

"Olá,
Somos crianças do Brasil e temos seis anos.  Aqui no Brasil gostamos de jogar futebol, brincar de correr e ir na praia. E vocês, do que gostam de brincar? Um beijo dos novos amigos."
Yago, Rayssa, Gabriel, Victor, Breno e Kauã, alunos do 2º ano da escola Aquarela, na cidade de Santos (SP).

++

CARTAS DE GILÉ


Crianças do Gilé na escola

"Olá, amigos do Brasil
Recebemos  a cartinha de vocês e gostamos muito. Nós, crianças daqui, gostamos de brincar, ir à igreja rezar, jogar futebol e ir à escola. Gostamos também de ir tomar banho no rio, mas temos um pouco de medo, pois há muitos crocodilos que comem pessoas. Gostamos também de ir à 'machamba' com mamã capinar e plantar e depois colher os frutos que plantamos. E subir na canoa, pescar e buscar água para beber. Abraços!"

"A nossa escola primária é construída com barro e coberta de capim. Sentamos no chão e, quando chove muito, cai água dentro da sala e molha nossas roupas e cadernos. A nossa professora nada pode fazer, pois é o único lugar que ela tem disponível para tentar nos ensinar. Não conseguimos aprender muito, mas é assim mesmo. Aqui comemos ratos do mato, que em nosso dialeto chamamos de ’mutxhoro‘, e também comemos cupim. Mas não é toda gente, e aqueles que comem não é tanto por gostar, mas por não ter nada para misturar com a xima, folhas de mandioca, folhas de abóbora etc. Assim é a nossa vida, embora pobres, somos felizes. Abraços!"

"A nossa terra aqui tem muita areia e não produz muita coisa. O que mais plantamos para a nossa alimentação é a mandioca e o amendoim, e também a cana-de-açúcar. Aqui não conhecemos quase nada de brinquedos, pois não temos dinheiro para comprar e não sabemos construir. Fazemos carrinho e jogamos futebol. Também gostamos de jogar vôlei, mas não temos a rede para colocar para jogar. Também gostamos de nadar no rio. Abraços a todas as crianças do Brasil!"

Crianças do Gilé

Escrito por Gabriella Mancini às 18h48

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cinco surpresas ou...zebras

Amanhã na Folhinha você confere quem são os dez maiores jogadores da Copa de 2010.

Confira agora nossas apostas em cinco jogadores que podem ser boas surpresas ou...grandes zebras do Mundial.

Foto Tom Hevezi/Associated Press

Park Ji-sung
Conhece algum asiático que faz sucesso no futebol europeu? O sul-coreano já disputou semifinal de Copa (em 2002) e já mostrou no Manchester United que pode tanto marcar bem quanto ajudar no ataque. Candidato a "formiguinha da Copa".

Hamsik
Destaque do italiano Napoli, o habilidoso meia-atacante Hamsik pode ser "o cara" da Eslováquia, que faz sua primeira participação em Copas (antes o país fazia parte da antiga Tchecoslováquia, que chegou a ser vice-campeã em 1962 ao perder a final para o Brasil).

Foto Paul White/Associated Press

Agüero
Argentino como Messi, o genro de Maradona está em grande temporada pelo Atlético de Madri e é pretendido por grandes clubes. Tem gente na Espanha que compara o atacante, que não é dos mais altos (1,72 m) a Romário (1,69 m), o nosso Baixinho, pela sua estatura e frieza dentro da área.

André Ayew
O meia-atacante ganense de apenas 20 anos tem tudo para ser a grande estrela africana do futuro. Destaque em torneios de divisões de base, Ayew tem berço: seu pai é um dos principais jogadores da história de Gana, Abedi Pelé.

Stankovic
Nascido em Belgrado, Stankovic, uma das estrelas da Inter de Milão, é o líder da equipe sérvia. Na África do Sul, o jogador baterá um curioso recorde: jogará a terceira Copa pelo terceiro país diferente. Atuou em 1998, pela Iugoslávia, e em 2006, pela Sérvia e Montenegro

Escrito por Sandro Macedo às 16h37

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, 1o de maio, na Folhinha

Foto Divulgação


Futebol
Saiba mais sobre os 10 craques de 2010, que prometem arrasar na Copa do Mundo

Entrevista
Confira um bate-papo exclusivo com o craque da vez, Neymar, do Santos

Livros
Alice ganhou mais duas adaptações, uma delas em mangá

Minissérie
Neste novo episódio da minissérie criada por José Roberto Torero, você descobre como foi a Copa de 1962

Escrito por Gabriella Mancini às 16h21

Comentários () | Enviar por e-mail | Bastidores | PermalinkPermalink #

Dunga, me leva?

Foto Ricardo Nogueira/Folha Imagem

Com seus dribles e suas dancinhas, Neymar 
traz alegria para o futebol

Na Folhinha deste sábado você confere uma entrevista exclusiva com Neymar, que se diz preparado para jogar na Copa do Mundo (agora só falta o Dunga concordar). Confira a seguir a continuação do bate-papo.

Qual o gol mais bonito de sua carreira?
Contra o Santo André, este ano, pelo campeonato Paulista.

Qual a defesa mais difícil de enfrentar no Brasil? E o zagueiro?
A do São Paulo, com Alex Silva, é uma ótima defesa.

Que zagueiro mais o provoca? Que ameaças você recebe?
Não ligo para provocações e não aceito ameaças, apenas jogo o futebol que quero.

Que time brasileiro você achou mais complicado de enfrentar?
Todas as equipes são complicadas, tento vencer todas.

Em que time do exterior você gostaria de jogar?
Não penso nisso por enquanto, deixo na mão de Deus.

Que matéria você achava mais difícil na escola? Já repetiu algum ano?
Não tive dificuldade com nenhuma e nunca repeti de ano, apenas agora não pude concluir por ter que fazer uma escolha [dedicar-se ao futebol].

Além do futebol, qual era sua brincadeira favorita na infância?
Video game e [estar com os] amigos.

Qual seu drible predileto?
Pedalada.

Seu estilo é mais parecido com o Pelé ou com o Messi?
Cada um tem o seu, espero um dia ser o estilo Neymar.

Que dicas você daria para quem quer ser um grande jogador?
Treinar muito, mas com muita alegria. Tem que ser feliz no que gosta.

Escrito por Rosangela de Moura às 12h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Figurinhas.com

Fotos Marcelo Justo/Folha Imagem

Os amigos Carlos Eduardo e Pedro trocam figurinhas

Pedro Laruccia Piau, 13, ainda se lembra de como foi difícil completar o álbum da Copa do Mundo de 2006. "Era a figurinha Calcitori Panini, só a encontrei depois de quatro semanas".

A demorada caça pela última figurinha está perto do fim. É que agora os colecionadores contam com a ajuda da internet para marcarem encontros e trocarem as repetidas.

Foi pelo Orkut que Oliver Clerici Laviaguerre, 12, ficou sabendo do encontro ocorrido no Masp, em São Paulo, no feriado de 21 de abril. "Consegui trocar 60 figurinhas, agora só falta uma."

Colecionar livro ilustrado é costume antigo. Quando o primeiro cromo surgiu na Europa, em 1867, ninguém podia imaginar que um dia a brincadeira viraria tradição. A mania da coleção somada à paixão por futebol só poderia ter um resultado: sucesso em ano de Copa do Mundo.

O primeiro livro do mundial lançado pela editora Panini foi o de 1970, da Copa do México. "Acho que naquela época era muito mais difícil e caro completar o álbum, a internet ajuda muito, vale a pena entrar nas comunidades e participar dos encontros", diz Renato Donatelli Filippini, 12.

No entanto, o professor de informática Fabianno Clayton Xavier, um dos internautas que organizam os encontros para a troca dos cromos, alerta: "Marcamos em locais públicos e movimentados, mesmo assim as crianças devem sempre comparecer acompanhadas dos pais".

Caio Martins Bastos de Almeida, 12, já foi a dois encontros e concorda. "Além de ser mais seguro, meu pai me ajuda muito, sem ele não conseguiria fazer nada e me perderia na hora das trocas".  Para Carlos Eduardo Mendonça Paula, 11, o divertido é a negociação. "Às vezes os meninos querem cinco figurinhas por uma rara, tem que saber negociar e ficar atento para não ser enganado".  

Dicas para a troca:

"É importante saber se organizar escrevendo em um papel os números das figurinhas que faltam para você. Ficar adivinhando pela cara do jogador não dá muito certo, folhear as páginas do álbum, também não."
CAIO MARTINS BASTOS DE ALMEIDA, 12

"Não leve seu álbum aos encontros para não correr o risco de perdê-lo."
CARLOS EDUARDO MENDONÇA PAULA, 11

"Você deve chegar e perguntar: ’Ei, você está livre? Tenho várias figurinhas brilhantes’. Elas sempre chamam a atenção."
RENATO DONATELLI FILIPPINI, 12

"Você pode trocar pelo correio, mas prefiro pessoalmente. Correio só com a Panini."
OLIVER CLERICI LAVIAGUERRE, 12

Foto Zanone Fraissat/Folha Imagem

Encontros

Os pontos fixos mais agitados em São Paulo são:
Shopping Eldorado (av. Rebouças, 3970): sextas-feiras, a partir das 18h
Masp (Av. Paulista, 1578): todos os sábados, a partir das 14h


Para saber mais
:

Orkut: Álbum da Copa 2010 [OFICIAL]" - http://bit.ly/aG5HzK
Facebook: Álbum Copa do Mundo Fifa 2010 - http://bit.ly/aJOYzE
Twitter: Tenho Repetidas – http://bit.ly/bFNpIJ

Internet

No site www.torcidapanini.com.br você pode pedir os cromos que faltam para completar seu álbum. É possível comprar até 40 figurinhas por pedido. Cada uma custa R$ 0,15 e é adicionado ao pedido o valor de R$ 5 referente ao custo de manuseio e postagem. O prazo de entrega é de duas a quatro semanas após a confirmação do pagamento.    

Correio

Você deve fazer um depósito identificado no Banco Bradesco. Depois, é só destacar ou tirar uma cópia do encarte de atendimento contido em seu álbum, relacionar os números das figurinhas que você quer pedir (limitado a 40 cromos por carta) e enviar à Panini juntamente com o comprovante do depósito bancário. Cada figurinha custa R$0,15 e é adicionado ao pedido o valor de R$ 6 referente ao custo de manuseio e postagem. O prazo de entrega é de duas a quatro semanas após a confirmação do pagamento. Para mais informações: 0/xx/11/3614-1390 (Central de Atendimento de Cromos da Copa 2010).
 

Escrito por Elaine Ortiz às 16h25

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Aperte o REC

Foto Yvson Miranda/Divulgação

Se você tem entre sete e 12 anos, está convidado a viver momentos de cineasta na oficina "Rec Play", promovida pelo Itaú Cultural.

A ideia é captar imagens e depois editá-las (dar uma ordem ao material). Por fim vem a melhor parte: dar o play e assistir ao seu próprio filme.

Para escolher as imagens que vão filmar, as crianças buscam inspiração nas obras de Hélio Oiticica, um importante artista plástico brasileiro que ganhou uma mostra no Itaú Cultural em abril.

Para participar da oficina, é preciso se inscrever pelo telefone 0/xx/11/2168-2876.

REC PLAY - Oficina de Vídeo para crianças e adolescentes
Com equipe da Kinoforum
Quando: dias 1, 8 e 15 de maio (sábados), das 14h30 às 17h30
Onde: Itaú Cultural (av. Paulista, 149)
Quanto: grátis

Escrito por Gabriella Mancini às 14h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Álbum de figurinhas virtual

Foto Divulgação

Ele é mais ecológico, pois não desperdiça papel, e também mais econômico: o álbum oficial de figurinhas da Copa ganhou versão online.

Para ter o seu, é só se cadastrar no site pt.stickeralbum.fifa.com/

Após incluir seus dados você ganha cinco pacotinhos, com cinco figurinhas em cada um. Depois, a cada acesso ao site você receberá mais figurinhas dos jogadores. Para obter os escudos (figurinhas especiais), será preciso procurá-los pelo site da Fifa.

No site você encontra também uma área para trocas de figurinhas, assim fica mais fácil completar o álbum. Quem conseguir essa façanha antes de 16 de julho pode ganhar uma edição especial do álbum completo, com capa dura.

Escrito por Gabriella Mancini às 19h56

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Turma da Mônica em 3D

Foto Divulgação

A turma do Penadinho e o Astronauta se preparam para virar 3D.

Eles vão ganhar uma série de animações para TV, com estreia prevista para julho.

Os desenhos serão exibidos aos sábados, às 10h30, na Rede Globo, em um bloco especial com a Turma da Mônica.

Em 2011, a Turma da Mônica Jovem também entrará na programação com um filme em 3D, no estilo de "Avatar".

Escrito por Gabriella Mancini às 13h42

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Doe um livro

Foto Divulgação

Você já leu aquele livro tantas vezes que até decorou o texto. E tem também aquele outro esquecido no canto do armário. Que tal fazer uma doação?

A Casa Hope, que abriga e ajuda cerca de 200 crianças e adolescentes com câncer, está recebendo doações para sua nova biblioteca.

Sua participação será um presente para as crianças, que ganharão novos livros, e para os livros, que vão ganhar novos leitores. 

Escolha livros novos ou em bom estado (nada de doar livro caindo aos pedaços!) e procure um dos postos de coleta da Fedex.
Você pode fazer sua doação até dia 31 de maio.

Onde entregar seus livros para a doação:

Shopping Iguatemi (av. Brigadeiro Faria Lima, 2232)
De segunda a sábado, das 10h às 22h; domingo, das 14h às 20h

Shopping Market Place (av. Dr. Chucri Zaidan, 902, Piso Fantasy)
De segunda a sábado, das 10h às 20h)

Lapa (rua Marina Ciufuli Zanfelice, 291)
De segunda a sexta, das 9h às 21h

Santo Amaro (av. das Nações Unidas, 17891, térreo)
De segunda a sexta, das 9h às 13h e das 14h às 18h

Escrito por Gabriella Mancini às 15h05

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Parque de aprendizes

Foto Divulgação

Ir a um parque de diversões é sempre um bom programa. Mas imagine levar toda sua turma do colégio e ainda aprender um montão sobre Ciências e cuidados com a natureza?

Para participar do projeto "Playcenter Escola", seu colégio deve se inscrever pelo telefone 0/xx/11/2244-6300 ou pelo e-mail vendas@playcenter.com.br. É cobrada uma taxa e o valor depende do número de alunos. Podem participar estudantes dos ensinos Fundamental e Médio.

São três espaços educativos:

Espaço Estação Ambiental - é um labirinto com cenários feitos de materiais recicláveis. Com efeitos especiais, são trabalhados todos os sentidos dos visitantes: visão, audição, olfato e tato. De forma divertida, você aprende mais sobre questões ambientais, como placas tectônicas e terremotos.

Espaço Florestas do Futuro - feito em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica, e trata de temas como biodiversidade e proteção desse bioma.

Playciência - o parque vira um grande laboratório de ciências, em que os estudantes podem entender o funcionamento e as sensações causadas no nosso corpo nas atrações de um parque de diversões. As crianças acompanham uma apresentação chamada "Ciência em Show", com uma equipe formada por professores da USP (Universidade de São Paulo) e pelos personagens "Cientistas Malucos", do SBT.



Os professores recebem um guia com atividades educacionais, ilustradas com o
personagem Senninha

Escrito por Gabriella Mancini às 12h37

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Prepare-se para patinar

Na Folhinha de hoje você confere uma reportagem especial sobre patinação. Para quem quer começar a praticar, será preciso escolher um bom par de patins e equipamento de segurança (um kit com joelheira e cotoveleira, além do capacete que é vendido separadamente).

Você pode mudar as laterais, as rodinhas, e dar a sua cara aos patins. Confira alguns modelos e seus acessórios:

Fotos Joao Brito/Folha Imagem

Patins feminino infantil (R$ 250); patins masculino infantil (R$ 250)


Capacete (R$ 70)                                   


Kit proteção (R$ 70, com joelheiras
e cotoveleiras)


Cones usados para manobras como slalom (R$ 50 o
pacote com dez)


Rodinhas (Undercover; R$ 170 o pacote com quatro)

 Agradecimento: Rolling Sports http://rollingsports.com.br

Escrito por Gabriella Mancini às 16h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tipos de patinação

Foto Folha Imagem


Em pista de gelo, como se fosse futebol, ou mais parecida a uma dança: conheça os diferentes tipos de patinação.

Patinação Artística: é praticada com patins tradicionais, aqueles com duas rodas na frente e duas atrás. Geralmente as apresentações dessa modalidade acontecem em quadras de esportes e ginásios. Existem sete categorias de patinação artística: figuras, open loop, solo dance, free dance, dupla de dança, dupla de levantamento e livre. Nos países frios, a patinação artística é praticada com patins de gelo.

Patinação de velocidade: é realizada com patins de gelo em pistas circulares. Essa modalidade esportiva faz parte dos Jogos Olímpicos de Inverno e é muito popular nos Estados Unidos e no Canadá. A disputa se dá em quatro provas com diferentes distâncias: 500 metros, 1.500 m, 5.000 m e 10.000 m. 

In-line vertical: é um esporte bem parecido com o skate vertical, só que se pratica com patins em pistas com mais de três metros de altura, em formato de U.

Hóquei: é um jogo em que se marca gol, mas que não utiliza bola, e sim um disco chamado puck. Sob os pés dos atletas, nada de chuteira. O negócio é patins. E, para marcar pontos, usam um bastão chamado sticker. Além disso, há outros equipamentos obrigatórios como capacete, caneleira, fraldão, cotoveleira, luvas e proteção genital. Tudo para que ninguém se machuque numa partida. E isso funciona mesmo. O hóquei é um esporte com baixos índices de ferimento.

Tipos de patins

Existem três tipos de patins: o in-line, o tradicional e os patins para gelo. 

Cada um desses tipos é  usado em diferentes pistas e práticas esportivas. Por exemplo: o patins in-line é usado no hóquei, em corrida e, ainda, para brincar em qualquer tipo de piso. Existem vários detalhes que diferenciam os patins in-line de outro. Isso ocorre porque cada esporte exige um modelo de bota, que é um item do in-line que varia bastante a cada esporte. No caso do hóquei, as botas são bem mais duras e resistentes do que as botas do in-line usadas na pista de skate, por exemplo. As rodinhas, outra parte fundamental dos patins, têm variação de espessura e de material. Assim como os carros de Fórmula 1 têm as rodas trocadas, de acordo com a pista, os praticantes de hóquei têm jogos de rodinhas, que mudam de acordo com o tipo de piso da quadra.

Patins tradicional: como uma bota, com duas rodas atrás e duas na frente, os patins tradicionais já foram muito usados em diversas modalidades esportivas. Hoje são usados principalmente para a prática de patinação artística.

Patins de gelo: Com botas e lâminas, o patim de gelo é utilizado para patinação artística, corridas e hóquei em pistas artificiais de gelo ou lagos congelados. A patinação no gelo é conhecida mundialmente, mas praticada principalmente em países frios. Em regiões mais quentes, patinar no gelo só é possível em pistas artificiais.

Escrito por Paula Thomaz às 13h05

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Manobras radicais

A Folhinha de hoje traz uma reportagem especial sobre patinação.

Ela é um bom esporte para quem só quer passear e sentir o vento no rosto, mas também agrada a quem prefere esportes mais radicais.

Confira algumas manobras no vídeo abaixo:


 

Escrito por Gabriella Mancini às 09h44

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, 24/4, na Folhinha

  Foto Divulgação

Esporte
Os patins estão novamente na moda e na cabeça das crianças

Música
Confira entrevista com a vocalista de Isa TKM, que está em turnê pelo Brasil

Minissérie
Segundo capítulo da série escrita por José Roberto Torero sobre as Copas do Mundo

 

 

Escrito por Paula Thomaz às 23h20

Comentários () | Enviar por e-mail | Bastidores | PermalinkPermalink #

Arte sobre rodas

Foto Patricia Stavis/Folha Imagem

Beatriz Machini Erenberg, 10

Amanhã você confere na Folhinha uma reportagem especial sobre os patins, que estão de volta à moda e aos pés das crianças.

Existem várias modalidades de patinação: hóquei, in-line vertical, patinação de velocidade e artística.

Esta última foi a escolhida, há três anos, por Beatriz Machini Erenberg, 10. Esta atleta mirim da Sociedade Esportiva Palmeiras é tão boa para sua idade que compete na categoria das meninas de 14 anos. "Eu treino segunda, terça, quinta e domingo", diz. Mas não para por aí. Em casa, Beatriz joga patinação no vídeo game e brinca com a Barbie patinadora.

Giulia Fanti Haddad, 10, é outra patinadora de destaque da equipe palmeirense. Ela ficou em primeiro lugar no Campeonato Brasileiro de Patinação Artística que aconteceu em abril, no Rio de Janei­ro. 

Pratica patinação artística há oito anos por influência da mãe, que também é patinadora. E explica que, apesar de patinar há oito anos, não usa patins in-line. "Te­nho medo de cair. É mais difícil de me equilibrar. Acho o de gelo mais fácil. Não faço com o patins de gelo tudo o que eu faço com de rodas, mas já sou melhor do que no in-line." E para complementar a patinação, Giulia faz balé e aula de circo. Ela tem um motivo especial para tanto esforço: "quero ser patinadora profissional e técnica de patinação."

Os meninos

Caio Freire, 11, também adora patins, mas para jogar outro esporte. Fissurado em hóquei, Caio trocou a chuteira pelas rodinhas. E apesar de estar acostumado a fazer gols, o que achou mais difícil nes­se esporte "foi chutar a gol, porque tem que ser com o sticker, uma espécie de bastão. No início jogava o puck (o disco) baixo e o goleiro defendia. Deu um desânimo." Jogando há dois anos, Caio confessa: "Hoje sou viciado em hóquei."

Júlio Leme, 10, é companheiro de Caio no time da Associação Atlética Banco do Brasil. Ele conta que até experimentou os patins em pistas de skate, mas preferiu andar sobre rodas dentro da quadra de hóquei. "Eu tinha dois patins, um normal para usar na rua e o de hóquei. Eu doei um. Agora só ando de patins na hora de jogar. Não posso usar pelo clube, senão as rodinhas estragam", conta.

 

Escrito por Paula Thomaz às 09h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais Isa TKM

Foto Divulgação

Capa do segundo CD de Isa TKM


Os fãs de Isa TKM não têm do que reclamar. A segunda temporada da novela estreou este mês no canal pago Nickelodeon, o segundo CD do grupo (formado a partir da novela) será lançado em maio, foi criada uma rede social para os seguidores do programa (www.tocaazul.com.br), e o grupo inicia uma turnê de shows pelo Brasil neste fim de semana.

Na Folhinha deste sábado você confere uma conversa feita por telefone com a atriz María Gabriela de Faría, que faz o papel de Isa Pasquali.

Até lá, vá se programando para ver Isa de pertinho. Confira a agenda de shows:

Curitiba
Quando: sábado, 24/4, às 18h
Onde: Teatro Positivo (Grande Auditório) (r. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300; tel. 0/xx/41/3317-3000)
Quanto: de R$ 75 a R$ 200 

São Paulo
Quando: domingo, 25/4, às 18h
Onde: Via Funchal (rua Funchal, 65, Vila Olímpia; tel. 0/xx/11/2144-5444)
Quanto: de R$ 150 a R$ 350

Belo Horizonte
Quando: sexta, 30/4, às 20h30
Onde: Chevrolet Hall (av. Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi; tel. 0/xx/31/2191-5700)
Quanto: de R$ 60 a R$ 180

Brasília
Quando: sábado, 1/5, às 18h
Onde: Centro de Convenções (Auditório Master)
Quanto: de R$ 40 a R$ 150

Rio de Janeiro
Quando: domingo, 2/5, às 18h
Onde: HSBC Arena (av. Embaixador Abelardo Bueno, 3401, Barra da Tijuca; tel. 0/xx/21/3035-5200)
Quanto: de R$ 45 a R$ 160

A cantora brasileira Lu Alone (www.myspace.com/lualone) abrirá os shows de São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte.

Enquanto o show não chega, vá treinando a canção "Ven a Bailar", do primeiro CD do grupo:


Escrito por Gabriella Mancini às 20h06

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

No escuro pelo planeta

Foto Divulgação

Hoje tem episódio especial de "ICarly"

Não estranhe se sua televisão sair do ar hoje à noite. Como 22 de abril é o Dia do Planeta, o canal pago Nickelodeon vai suspender a programação por um minuto, às 21h30.

E também exibirá uma programação especial, a partir das 20h, com episódios que falam sobre a preservação do ambiente. Em "Bob Esponja", Bob e Patrick protestam contra a construção de uma rodovia que passará por cima de um jardim de águas-vivas.

Em "True Jackson", Max Madigan descobre um tecido especial que não prejudica o ambiente e decide criar roupas com ele. 

E os personagens de "iCarly" desenvolvem um projeto para ajudar o ambiente, mas Carly acaba criando um gerador de energia nuclear ilegal.  

Você também pode fazer sua parte. Se ainda demora no banho, não recicla o lixo e vive comprando brinquedo novo, que tal mudar suas atitudes a partir de hoje?

Escrito por Gabriella Mancini às 15h53

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sem sono no teatro

Foto Divulgação

Cia. Circo de Bonecos e seus porquinhos-tigelas

Para adiar a hora de ir para a cama, aparece cada desculpa! Fome, frio, sede, e... insônia (dificuldade para pegar no sono). No espetáculo teatral "Inzôonia", cada desculpa vira uma história. Na hora de contá-las, dois atores transformam objetos de um quarto em animais: tem ovelha feita de meia, lobo mau feito de secador e porquinhos criados com tigelas.

"Inzôonia" será apresentado neste fim de semana, dias 24 e 25 de abril, dentro da programação do I Festival Centro da Terra para Crianças . Nos dias 1 e 2 de maio será a vez de "O Flautista de Hamelin", com o Circo teatro Musical Furunfunfum.

Antes de cada espetáculo, às 15h, acontecerá uma oficina de artes inspirada no tema da peça, além de bate-papo entre atores e público. A oficina também é grátis.

I Festival Centro da Terra para Crianças
Quando: sábados e domingos, às 16h. Até 2/5
Onde: Teatro do Centro da Terra (r. Piracuama, 19, Sumaré; tel. 0/xx/11/3675-1595)
Quanto: grátis (retirar ingresso na bilheteria duas horas antes da sessão. Até dois ingressos por pessoa).

Escrito por Gabriella Mancini às 14h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pequenos atletas

Foto Divulgação

Se você tem entre dois e 12 anos e corre como ninguém, pode mostrar sua velocidade na 12ª Corrida Pão de Açúcar Kids. Ela acontece dia 8 de maio no Complexo Desportivo Constâncio Vaz Guimarães (r. Mal. Estênio de Albuquerque Lima, 82, São Paulo, SP) e as inscrições já estão abertas.

Como em uma corrida profissional, os atletas-mirins são divididos em pistas (de 50m a 400m) de acordo com a idade. Todos recebem um kit com camiseta da prova e chip de cronometragem, e medalha de participação ao final da corrida. 

E se você ainda tiver pique, poderá aproveitar as tendas de recreação organizadas pelo evento.

A Corrida Pão de Açúcar Kids existe desde 2004 e já contou com mais de 35 mil crianças. Para participar, basta se inscrever pelo site www.pakids.com.br. Mas corra: é só até 22 de abril. A taxa é de R$ 30.

Escrito por Gabriella Mancini às 20h24

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Companheiro de viagem

Fotos Divulgação

Você vai viajar e não sabe com quem deixar o seu cãozinho? Que tal levá-lo também?

Hoje muitos hotéis e restaurantes já estão preparados para receber todo tipo de visitante, incluindo os animais.

Para incentivar os donos de cães a levarem seus animaizinhos nas viagens, foi criada a exposição "Vida de Cão em Foco", que começa hoje em São Paulo.

Ela traz 20 fotos de cães serelepes em viagens pelo mundo. Seu cãozinho com certeza aprovaria a ideia!


Exposição “Vida de Cão em Foco”
Quando: de 19 de abril a 10 de maio, das 10h às 22h
Onde: loja Gama Pet, no Shopping Cidade Jardim (av. Magalhães de Castro, 12.000)
Quanto: grátis

Escrito por Gabriella Mancini às 17h55

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O que você faz para ajudar o planeta?

Foto Divulgação

Obra exposta no Sabina -Escola Parque do
Conhecimento, em Santo André (SP)

A Folhinha deste sábado trouxe uma reportagem sobre o Dia do Planeta, comemorado em 22 de abril. Algumas crianças contaram o que fazem para ajudar o planeta, que tem sofrido com as ações do homem.

As crianças do Instituto Nossa Senhora Auxiliadora (SP) mandaram sua opinião. Alguns alunos fazem parte do NEA - Núcleo de Estudos Ambientais. Eles se encontram uma vez por semana para pensar em soluções para o planeta. Como resultado dessas reuniões, coletam pilhas e baterias para reciclagem e transformam óleo de cozinha em sabão, que é doado para instituições de caridade.

"Problemas ecológicos são muitos. Temos que ajudar, cada um fazendo sua parte", diz o aluno Gabriel Cichy, 10, que se preocupa muito com o efeito estufa.

Veja o que os outros alunos do INSA fazem para ajudar o planeta. Alguns até sugeriram soluções para ajudar o ambiente:

“Em casa eu ajudo economizando água, tomando banhos rápidos, e sempre quando não estou usando a luz eu apago as luzes. Na escola eu economizo folha de papel, procuro sempre economizar água quando vou lavar a mão. Vou continuar ajudando o planeta sempre que eu puder.”
NICOLE CAMARGO JUSTINO, 11

“Quando eu estou jantando e vejo meu irmão na mesa, também eu vejo que a luz está acesa e o peço para apagá-la. Às vezes explico para meu irmão que faria diferença se deixasse apagado.” 
DANILO YUKIO IWAMATSU, 11

“Futuramente gostaria de fazer uma campanha para reutilizarem a água da máquina de lavar por exemplo.”
ANA LUIZA BARRERA CÂMARA, 12

“Eu ajudo o meio ambiente não matando insetos e tento não ficar sujando a rua. E quando tem eventos sobre o meio ambiente sempre eu e minha família fazemos o possível para entrar.”
HUGO LEONARDO FERREIRA FILHO, 12

"Eu tenho uma ideia para ajudar o planeta: você já viu uma lamborguini? Pois é, ela tem aberturas laterais perfeitas para hélices de energia eólica. Só com umas mudanças. E não colocar uma bateria, mas um sistema de abastecimento em tempo real para o motor.”     
PEDRO VILLARI, 11

“Eu e minha mãe reciclamos o lixo toda semana. Meu banho é de oito minutos e o chuveiro da minha casa usa aquecedor de água solar.”
AIRTON NUNES, 11

Escrito por Gabriella Mancini às 18h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Leituras para ajudar o planeta

Fotos Divulgação

Não jogar lixo no chão é uma atitude nota dez


Na Folhinha de hoje, você confere uma reportagem que vai lembrar o Dia do Planeta (22/4). Nela você descobre o que as crianças têm feito para ajudar a Terra.

Apagar a luz quando sair de um lugar, desligar a torneira enquanto escova os dentes e aproveitar os dois lados do papel são algumas das coisas simples que você pode fazer para que a natureza seja preservada.

Outras dicas você confere no livro “10 Coisas que Eu Posso Fazer Para Ajudar Meu Planeta”, de Melanie Walsh (ed. Allestrade; R$ 32). Com belas ilustrações, ele mostra o que você pode mudar no seu dia a dia para ajudar o planeta. E ainda explica por que você colabora com o
ambiente fazendo isso.

A autora Melanie Walsh é mesmo preocupada com o planeta. Também é dela o livro “Meu Dia Verde – 10 Atitudes Verdes que Eu Posso Tomar Hoje” (ed. Allestrade; R$ 32). Não deixar comida no prato, usar sacolas ecológicas (reaproveitáveis, que não são jogadas fora como as de plástico) e tomar banho rapidinho são algumas das atitudes que você deve adotar se quiser ajudar a natureza.

Agora chega de colocar a culpa nos adultos. Você já sabe como ajudar o planeta, então é só colocar as sugestões em prática!


Usar sucata para fazer brinquedo é divertido e ecológico

Escrito por Gabriella Mancini às 11h14

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Torero entra em campo

Foto Divulgação

José Roberto Torero contará histórias das Copas na Folhinha

A Copa do Mundo está chegando. A Folhinha entra no clima e estreia amanhã uma minissérie sobre a história das Copas.

O legal é que ela é contada por meio de cartas escritas por crianças que viveram naquela época. Como será que elas acompanhavam a Copa quando não havia TV? E como foi ver a primeira vitória do Brasil?

As cartas foram inventadas por José Roberto Torero. Além de escritor (tem 17 livros publicados), Torero é jornalista, cineasta, tem dois blogs (um para crianças: blogdolele.blog.uol.com.br), e ainda consegue arrumar tempo para fazer coisas que criança também adora: é viciado no game Winning Eleven, coleciona gibis e carrinhos (tem mais de cem modelos!)  e assistiu a todos os episódios de Os Simpsons.

Saiba mais sobre ele, que passará sete semanas junto aos leitores da Folhinha.

Um dos seus livros se chama "Uma história de futebol". E você tem um blog sobre o assunto. Você também é bom jogando futebol, ou só escrevendo sobre isso? Gostava de jogar bola quando criança?

Eu gostava muito de jogar bola na praia, lá em Santos, onde eu morava. Mas sou bem melhor escrevendo do que era jogando. Porém, uma vez, uma única vez, fui artilheiro num campeonato de futebol de salão. Tinha uns 15 anos e corria muito. Muito! 

Qual a parte mais legal de escrever para crianças? E a mais chata?
A parte mais legal é lembrar as coisas que aconteceram comigo. A mais difícil é ter uma ideia diferente toda semana. 

Você vai começar neste sábado uma minissérie para a Folhinha contando sobre as Copas do Mundo. Já assistiu a alguma de perto? Como foi?
Já. Estive na Copa de 2006, na Alemanha. Foi muito divertido. Não tanto pelos jogos, que não foram tão bons assim, mas pelos lugares e pessoas que conheci.

Qual o momento mais emocionante que você viveu relacionado ao tema ‘futebol‘?
Foi a despedida do Pelé. Meu pai chorou um bocado.

Quem são seus jogadores favoritos?
Dos que jogam hoje em dia, Neymar e Ganso.

A seleção deste ano ainda não está escalada. Quem não pode faltar?
Neymar e Ganso.

Na minissérie, crianças de diferentes épocas falam sobre as Copas que acompanharam (por rádio, pela TV, no próprio estádio)? Você tem lembranças das Copas na sua infância?

Sim, lembro bem delas. Era um momento muito especial. A família toda se reunia, botavam colchões em frente à tevê, era uma festa. Até hoje, para mim, as Copas são uma festa.

O que espera da Copa deste ano? Acha que o Brasil vai ganhar? Qual seria a final perfeita?
Acho que o Brasil tem boa chance de ganhar. E a final perfeita seria contra a Argentina (desde que a gente vença, é claro).

Escrito por Gabriella Mancini às 11h58

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, 17/4, na Folhinha

  Foto Divulgação

Capa
Saiba o que as crianças fazem para ajudar o planeta, que ganhou uma data especial em 22/4.

TV
Entrevista com ator que interpreta personagens da nova série "Jake & Blake"
 
Minissérie
José Roberto Torero traz cartas de crianças que vibraram com as Copas do Mundo
 

Escrito por Gabriela Romeu às 11h48

Comentários () | Enviar por e-mail | Bastidores | PermalinkPermalink #

A turma do Tiquequê

Isabel, Angelo, Wem e Diana, que fazem música desde crianças

No espetáculo “Tu Toca o Quê?”, Diana, Isabel, Wem e Angelo arrancam aplausos das crianças (e seus pais) a cada música. Eles formam o quarteto do Tiquequê, grupo que mistura música, dança e contação de histórias e está em cartaz no teatro Alfa, em São Paulo.

Na Folhinha de sábado (17/4), você conhece algumas brincadeiras que essa trupe faz no palco. Aqui já dá para ler um bate-papo que tive com eles por e-mail.

Há vários instrumentos que vocês criaram para o espetáculo. Pode falar um pouco sobre eles, que sons fazem e de que são feitos?
Além dos instrumentos tradicionais como o violão, o cavaquinho e a escaleta, utilizamos um ganzá (tipo de chocalho), que fizemos com potinhos de Yakult, matracas feitas com caixinhas de CD, e um agogô, feito com coquinhos  mas este último não fomos nós que criamos... Na música “Prato Fundo”, nós fizemos um avental com diversos utensílios de cozinha pendurados, e que, além do efeito visual, é usado como percussão. Além disso, na coreografia criada para a música “Cultura”, batucamos em latões de lixo.

Vocês faziam muita música na infância? Podem contar um pouco algumas dessas histórias?
Diana:
Quando eu era bem pequenininha, antes dos cinco anos, brincava de inventar cantigas que falavam dos elementos do meu mundo: gelatina, geladeira, mamãe... Um pouco mais crescida, percebi que eu gostava de palco! Fiz aulas de teatro e, nas peças da escola, sempre me dispunha a interpretar os papéis centrais. Na adolescência esse gosto se concretizou em trabalho profissional; primeiro com atuações nos shows da Palavra Cantada, com meu tio Paulo [Tatit], depois em um projeto social coordenado pelos Doutores da Alegria, e enfim com o Coro das Primas, grupo com o qual montei o espetáculo “Pindorama”. Foi em 2000, com o fim deste grupo, que eu, a Bel e a Tati (minhas primas) resolvemos montar o Tiquequê.

Bel: Quase todos da minha família são artistas. Meus tios, meu pai, meu irmão e até minha mãe é um pouco artista. Desde pequena, eu e minhas primas (entre elas a Diana!), inventávamos coreografias, números teatrais e músicais para apresentarmos nas festas de família. Eu acho que minha vontade de brincar com a música vem desde esses tempos! Dos dez aos 15 anos, participei das gravações de CDs e dos shows do selo de música infantil Palavra Cantada. Já toquei um pouco de flauta transversal e fiz aulas de canto também.

Wem: Lá em casa tinha um quartinho de entulho. Nele ficava tudo que ninguém usava, mas gostaria de usar: pá, parafuso, arame, bola, rato, resto de cimento etc... Um dia eu entrei lá, como sempre fazia, e descobri a música!!! Isso mesmo: com um conduíte elétrico e um funil, fiz meu “funilfone”. Meu pai viu que a barulheira era séria, e tratou de me colocar na Banda Lyra, pra aprender saxofone! Lá iniciei na música de maneira formal. Aos 11 anos, formei meu primeiro grupo; chamava Mosca Branca, e eu tocava guitarra e cantava. Aos 15, fui morar na França, e o remédio pra saudade foi começar a compor canções... Há três tive o presente de entrar no Tiquequê, grupo que me inspira e me orgulha!

Angelo: Tenho uma forte lembrança de quando comecei a estudar música, num pequeno conservatório do meu bairro. Eu tinha nove anos e, na minha primeira apresentação, resolvi tocar o tema do Ayrton Senna no teclado. Minha professora ficou muito orgulhosa, porque era um desafio, uma música difícil. Acontece que eu queria muito tocar aquela música e, de tanto querer, fiquei tão nervoso que não consegui tocar quase nem uma nota! Mas, para minha surpresa, todos começaram a aplaudir. Aí eu relaxei e consegui tocar, finalmente. Continuei estudando teclado e, depois, descobri o violão, que é hoje uma grande paixão.

Quais outras dicas que vocês podem dar para as crianças brincarem de música?
É muito legal experimentar livremente inventar músicas, pensando em letras que tenham sentido, que contem histórias ou até letras malucas mesmo! É só ir cantarolando uma melodia que venha na cabeça e depois ir encaixando palavras que combinem com aquele ritmo. Um bom exercício é pegar uma música que já se conhece e trocar as palavras, fazendo uma espécie de paródia. Mas quem quiser se aprofundar mesmo saiba que também é preciso concentração, treino, ensaios... Seja para tocar um instrumento, para realizar uma coreografia ou para memorizar uma história. Mas é um esforço que traz grande recompensa: na hora em que você vê que conseguiu, dá a maior alegria!

Vocês estão compondo novas canções? Qual é a ‘brincadeira‘ de compor para crianças?
Neste show, há quatro composições nossas: “Trava-língua” e “Quero começar” são do Wem; “O Gigante” é do Angelo; a adaptação de “O Cravo e a Rosa” é da Diana. É muito gostoso compor para crianças! Mas, na verdade, isso não acontece na hora em que a gente quer... É que depende da inspiração, que não tem hora pra acontecer... Às vezes, quando a gente menos espera, surge uma ideia para uma nova música e temos que correr para pegar um lápis ou um gravador e registrá-la, antes que a ideia “escape”! Às vezes, a idéia vem, mas não conseguimos concretizá-la em uma canção completa. Então ela fica lá, guardada... Temos algumas músicas que estão assim, esperando pra sair do forno, ou melhor, da cabeça!


PARA CONFERIR
“Tu Toca o Quê?”
Onde: teatro Alfa (tel. 0/xx/11/5693-4000)
Quando: aos sábados e domingos, às 17h30; até 2/5
Quanto: R$ 24 (criança paga meia)


PARA SE ENROLAR
A música “Tu Toca o Quê?” é um dos momentos bem bacanas do show. Quer encarar o trava-língua?

- Tu toca o quê?
- Toco tambor.
- Só tambor?
- Toco tuba, atabaque, tan-tan, tamborim também, e toco bem.
- Toca com quem?
- Toco com Teco, com Titico e Beto.
- Que Beto, o Beto do boteco?
- Que boteco, no boteco não tem Beto!
- Tem.
- Não tem.
- Tem.
- Não tem.
- Tem, tem, tem!
- Tem a Teca, da boutique.
- Aquela que te tacou um taco na cuca porque te detesta?
- Não foi na cuca, foi na testa!
- Pouco importa onde bateu, o que interesse é que tu tava num batuque, tocando atabaque.

 

Escrito por Gabriela Romeu às 22h15

Comentários () | Enviar por e-mail | No palco | PermalinkPermalink #

Monstrengos em alta

Foto Divulgação

Criaturas famosas como a esfinge, o centauro e o dragão estão no projeto "Formosos Monstros", da escritora Cléo Busatto. Ele inclui um DVD-ROM (para computador; R$ 25), que traz um jogo com histórias e informações sobre onde esses monstros moram.

Para lançar o DVD, Cléo faz neste sábado uma sessão de contação de histórias, usando vários instrumentos musicais. A novidade é que duas Cléos vão apresentar a história ao mesmo tempo: uma real e outra Cléo que aparecerá em um telão.

Espetáculo e lançamento do DVD-ROM Formosos Monstros
Quando: 17/04, a partir das 15h
Onde: Livraria da Vila da Lorena (alameda Lorena, 1731; tel. 0/xx/11/3062-1063)
Quanto: Grátis

Escrito por Gabriella Mancini às 18h32

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Brincadeira de dançar

Foto Divulgação


Se você gosta de brincar e também gosta de dança, vai aprovar o espetáculo "Brinquedos e Inventos para Dançar", que mistura os dois. 

A ideia do grupo Confraria da Dança, de Campinas (SP), é levar ao palco uma grande brincadeira que mistura movimentos e palavras. Bolas de meia, coadores, pedaços de papel e chaleiras também entram na dança.

Não são muitos os espetáculos de dança para crianças, então aproveite para conferir este (que é grátis). Ele estreia amanhã em São Paulo e fica em cartaz até 25/4.

PARA CONFERIR:
"Brinquedos e Inventos Para Dançar" (com o grupo Confraria da Dança)
Quando: dias 16, 17, 18, 23, 24 e 25 de abril. Sextas, às 14h30, sábados e domingos, às 16h
Onde: Complexo Cultural Funarte (alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos; tel. 0/xx/11/3662-5177)
Quanto: grátis

Escrito por Gabriella Mancini às 16h36

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Monopoly bem brasileiro

Foto Divulgação

No tabuleiro de Monopoly, ganha quem for bom em negociar a compra e venda de territórios. É um dos jogos mais conhecidos do mundo e já ganhou versão de super-heróis, pets e personagens da Disney.

Para comemorar os 75 anos do jogo, a Hasbro vai criar uma edição com cidades e pontos turísticos do Brasil. Dá para escolher os lugares de que mais gosta no site www.monopolybrasil.com.br até o dia 5 de maio. Os mais votados vão ilustrar o novo tabuleiro.

O lançamento está previsto para agosto.  

Escrito por Gabriela Romeu às 15h55

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Desenhos bom de bola

Foto Divulgação

Será que as Meninas Superpoderosas são boas no futebol? E o Ben 10, se sairia bem como goleiro?

Na Copa Cartoon 2010, personagens de conhecidos desenhos animados do canal pago Cartoon Network vão participar de várias atividades relacionadas ao futebol. O gramado foi trocado por shoppings de seis cidades: São Carlos (SP), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Florianópolis (SC), Porto Alegre (SC) e Brasília (DF).

Uma das atividades é o Chute a Gol, em que dois grupos fazem uma disputa de pênaltis. Tem também games sobre futebol e camisetas customizadas com os personagens do canal.

Para participar, não é preciso fazer inscrição. Basta comparecer e encontrar seus personagens favoritos. Em São Paulo a atividade começa amanhã, de 14h às 20h, no shopping Market Place (av. Dr. Chucri Zaidan, 902) , e vai até o dia 25/4.

Escrito por Gabriella Mancini às 13h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Made in China

Se você é fã do atrapalhado Bob Esponja, já deve ter visto a figura apronta de tudo um pouco. Mas já viu o maluco em versão chinesa? Assista ao vídeo abaixo...

 

Escrito por Gabriela Romeu às 20h00

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Princesas e heróis do gelo

Fotos Divulgação



A história e os personagens são conhecidos: fazem parte de contos de fada dos filmes da Disney. Mas em "Disney On Ice" você encontra esses personagens em situação vem diferente: patinando sobre o gelo.

As princesas Ariel, Bela Adormecida e Cinderela, entre outras, já confirmaram presença na pista. Ao lado delas estarão seus heróis, prontos para protegê-las de tudo (até de uma queda no gelo!).

O espetáculo só acontece em maio, mas os ingressos já estão à venda pelo site www.ticketsforfun.com.br ou pelo telefone 4003-0848.

Disney On Ice - Princesas e Heróis

Quando: de 19 a 30 de maio.
Horários:19/05, às 20h; 20/05, às 15h e 20h; 21/05, às 20h; 22/05, às 11h, 15h e 20h; 23/05, às 11h, 15h e 20h; 25/05, às 20h; 26/05, às 20h; 27/05, às 15h e 20h; 28/05, às 20h; 29/05, às 11h, 15h e 20h; 30/05, às 11h, 15h e 20h

Onde: ginásio Ibirapuera (r. Manoel da Nóbrega, 1.361) 

Quanto: de R$ 40 (arquibancada) a R$ 180 (camarote)

Escrito por Gabriella Mancini às 17h25

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

No país do faz de conta - parte 2

Depois de acompanhar a transformação da Rainha de Copas, veja como o garoto Dannyel Parede, 6, virou o Chapeleiro Maluco. A maquiagem foi criada pelo encenador Kleber Montanheiro.

Chapeleiro Maluco

Materiais:

- pancake branco e cor da pele;

- sombra verde e vermelha;

- sombra marrom;

- lápis para olhos preto;

- lápis para olhos marrom;

- lápis para olhos vermelho;

- batom vermelho escuro;

- blush vermelho.

Fotos Mastrangelo Reino/Folha Imagem


1- Coloque a base branca e a cor da pele, e pinte a parte de baixo dos olhos com a sombra verde. Nas laterais, coloque a vermelha, como na foto.


2 - Desenhe a sobrancelha com lápis preto. No caso do Chapeleiro, dá para fazer as sobrancelhas diferentes uma da outra para ele parecer mais maluco.



3 - Passe a sombra marrom no início dos olhos (perto do nariz) fazendo uma curva até a metade. Isso dá um efeito de luz e sombra no rosto. Com o lápis marrom, contorne as duas aberturas do nariz, para que elas pareçam maiores.


4 - Com o mesmo lápis marrom, desenhe a boca começando pela parte de baixo, deixando que ela fique maior dos lados, como um grande sorriso.


5 - Com o pincel, coloque um batom vermelho escuro na boca. Misture com o marrom do lápis.

6 -Passe o blush vermelho nas bochechas e no queixo (com o pincel indo em direção às orelhas). Depois, use o lápis vermelho para fazer duas bolinhas na parte de dentro dos olhos, perto do nariz. Isso faz com que eles pareçam mais separados um do outro; fica ainda mais maluco!

- Pronto. Este é o Chapeleiro! Aceitam chá?

Escrito por Camilla Costa às 08h37

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

No país do faz de conta

Fotos Mastrangelo Reino/Folha Imagem

A Folhinha de hoje traz uma reportagem sobre o visagismo (conjunto de técnicas de maquiagem e penteado que transformam o visual) de "Alice no País das Maravilhas", obra do escritor Lewis Carroll que ganhou versão de Tim Burton e estreia por aqui dia 21 de abril.

Para dar cara nova a conhecidos personagens, quatro crianças se vestiram de Alice, Rainha de Copas, Chapeleiro Maluco e Coelho Branco em um ensaio de moda, produzido pela jornalista Camilla Costa. A maquiagem delas foi feita por Kleber Montanheiro, diretor do Miniteatro (pça. Roosevelt, 108, tel. 0/xx/11/2865-5955), sede da Cia. da Revista, que já monstou peças muito bacanas para crianças, como a premiada "Odisseia de Arlequino".

Quem ajudou a criar o "look" dos personagens foi a figurinista Marina Reis, que é fera no assunto e já foi premiada com a criação de figurinos para muitos espetáculos. 

Aprenda com eles a se transformar em Rainha de Copas ou em Chapeleiro Maluco. Peça ajuda a um adulto, para garantir que não vai ficar borrado!

Rainha de Copas

Materiais:

- pancake (um tipo de creme para deixar o rosto com cor uniforme) branco e cor da pele;
- sombra verde e rosa;
- sombra marrom;
- lápis para olhos marrom;
- lápis para olhos preto;
- lápis para lábios vermelho;
- batom vermelho;
- blush vermelho;
- máscara para cílios preta.

Passo a passo:


A menina Juliana Pereira, 7, transformando-se em Rainha Vermelha

1 - Limpe bem o rosto com uma toalha seca e passe a base branca (pancake). Depois, coloque o pó cor da pele. A mistura deixa o rosto mais iluminado.




2 - Coloque a sombra colorida e passe o pincel, sempre na direção vertical.

3 - Com a sombra marrom, faça o contorno das laterais do nariz, juntando com a ponta da sobrancelha. Isso faz uma espécie de sombra que afina o rosto e faz com que ele pareça mais longo.

4 - Com o lápis marrom, faça o desenho dos olhos. Ele foi feito embaixo para dar a sensação de um olho maior. Você também pode alongar o traço para os lados, para criar o efeito de "olho repuxado".
 

5 - Desenhe as duas sobrancelhas logo acima da verdadeira com o lápis preto. Isso dá mais "personalidade" ao personagem. Depois, com o lápis vermelho, faça o contorno da boca em forma de coração.

6 - Use um pincel para pintar o meio do coração da boca com batom vermelho.

7 - Para terminar, coloque blush vermelho em formato de bolinhas nas bochechas e no queixo. Nos dois lados do rosto usamos o mesmo blush, só que mais clarinho, passando o pincel suavemente do queixo até a orelha.

8 - A última etapa é colocar a máscara preta para os cílios e pronto. A rainha pode mandar à vontade!

Escrito por Camilla Costa às 08h35

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, 10/4, na Folhinha

 
  Foto Divulgação

O guarda-roupa de Alice
Conheça as muitas Alices já inventadas e crie a sua com os apetrechos que tem em casa

O que vem por aí
Visitamos a maior feira brasileira de brinquedos e vasculhamos as novidades

Por que chove tanto?
Entenda por que anda chovendo tanto no nosso país

Game, teatro, festival de circo
Confira as dicas para o fim de semana

Escrito por Gabriella Mancini às 18h36

Comentários () | Enviar por e-mail | Bastidores | PermalinkPermalink #

Roteiro das Maravilhas

Até a estreia do filme "Alice" em 3D, de Tim Burton, São Paulo se transformará no País das Maravilhas, com uma série de eventos com o tema do livro, como exposições, contação de histórias e até hora do chá! Confira:

Fotos Divulgação

Visita da Alice

De volta da sua viagem fantástica, Alice está pronta para contar sua história e falar sobre como se pode viver aventuras ao ler livros.

Onde: Livraria Cultura Market Place Shopping Center (av. Dr. Chucri Zaidan, 902; tel. 0/xx/11/3474-4033), sábado, 10/4, às 16h; Livraria Cultura Bourbon Shopping (r. Turiassu, 2100; tel. 0/xx/11/3868-5100), sábado, 17/4, às 16h; Livraria Cultura Conjunto Nacional (av. Paulista, 2073; tel. 0/xx/11/3170-4033), domingo, 25/4, às 16h
Quanto: grátis

O Coelho atrasado e o maravilhoso mundo dos livros

Você vai ter que seguir o coelho, apressado como ele só, pela livraria, enquanto ele conta um pouco da história de como conheceu Alice e a levou até o País das Maravilhas.

Onde: Livraria Cultura Conjunto Nacional 
Quando: sábado, 10/4, às 16h
Quanto: grátis

O coelho atrasado com as xícaras para o chá

Venha ouvir histórias do País das Maravilhas e depois fazer xícaras de papel para o chá da tarde com materiais diversos do ateliê de artes.

Onde: Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (av. Das Nações Unidas, 4777; tel. 0/xx/11/3024-3599)
Quando: sábado, 24/4 às 18h
Quanto: grátis

Contação de histórias – Alice no País das Maravilhas em cordel

A aventura é contada de um jeito um pouco diferente, como se fosse um poema de cordel, típico do Nordeste do Brasil.

Onde: Livraria Cultura Villa Daslu (av. Chedid Jafet, 131 - 2° andar; tel. 0/xx/11/3170-4058), sábado, 17/4, às 15h; Livraria Cultura Market Place Shopping Center (domingo, 18/4, às 16h30); Livraria Cultura Conjunto Nacional (sábado, 24/4 às 16h); Livraria Cultura Bourbon Shopping (domingo, 25/4, às 16h)
Quanto: grátis

Chá com o Chapeleiro

O Chapeleiro convida para um chá maluco, acompanhado de um bate-papo gostoso

Onde: Livraria Cultura Market Place Shopping Center (domingo, 11/4, às 18h); Livraria Cultura Conjunto Nacional (sábado, 17/4, às 16h); Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (sexta, 23/4, às 19h); Livraria Cultura Bourbon Shopping (sábado, 24/4, às 18h)
Quanto: grátis


Exposição “Alice por Ateliê Josephina”

A exposição tem painéis e objetos que mostram personagens e trechos do livro de um jeito criativo.

Onde: Livraria Cultura do Bourbon Shopping Pompéia
Quando: segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingos, das 14h às 20h
Quanto: grátis

 
Otto Bistrô recebe Alice

Quem for no restaurante Otto poderá comer um cardápio especial inspirado na história: tem pasta com mix de cogumelos, queijo gruyére e amêndoas, e, a partir do dia 10, um bolinho onde se lê “Coma-me”. Será que ele também fará você encolher?

Onde: Otto Bistrô (r. Pedro Taques, 129; tel. 0/xx/11/3231-5330)
Quando: segunda a sexta, almoço das 12h às 15h e jantar das 19h à 0h. Aos sábados das 13h à 0h. Durante todo o mês de abril


Encontro - Um dia, Alice

O evento dura a tarde inteira e terá exposições, exibição de filmes e trabalhos sobre Alice. Uma contadora de histórias falará sobre o dia em que a aventura foi criada, durante um passeio de barco do autor com Alice e suas irmãs.

Também haverá palestras sobre os ilustradores que fizeram Alice e sobre como o mundo do livro se parece com as brincadeiras e a cultura do interior do Brasil. Tem até leitura de poemas de Lewis Carroll e uma “hora do chá” como no livro.

A programação detalhada está no blog do evento: http://umdialice.blogspot.com

Onde: Centro Britânico Brasileiro (r. Ferreira de Araújo, 741; tel. 0/xx/11/3039-0508)
Quando: 11/4, das 16h às 20h
Quanto: grátis
 


Mostra Coisas da Alice

Vários artistas plásticos e designers de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre foram convidados para criar produtos (são mais de 50!) inspirados em Alice. Tem livro, conjunto de chá, quadros, bonecas, fantasias, e estão todas à venda.

Onde: Coisas da Dóris (al. Ministro Rocha Azevedo, 834; tel. 0/xx/11/3083-1962)
Quando: segunda a sexta, das 10h às 18h30, e sábados, das 10h às 15h. Entrada grátis. Até 5/5 
 

Escrito por Camilla Costa às 14h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nerds, nunca mais!

Fotos Divulgação

A ideia de voltar no tempo para mudar o passado não é novidade. O diferente no filme “Minutemen: os viajantes do tempo”, produção original do canal pago Disney XD, é o objetivo dessa viagem: três amigos tentam deixar de ser nerds e se tornarem mais populares no colégio.

A máquina só permite que eles voltem 48 horas no tempo, o que já é suficiente para apagar situações humilhantes e ainda ajudar outros meninos a não serem excluídos da turma.

O filme estreia amanhã, às 22h, no Disney XD, e será exibido também no dia 16, às 19h, e nos dias 21 e 27, às 22h.

Confira um bate-papo com o ator Luke Benward, 14, que faz o papel de Charlie Tuttle. É ele quem inventa a máquina do tempo no filme.

Como você descreveria seu personagem Charlie? 
Charlie é inteligente demais e está no último ano do ensino médio com apenas 14 anos de idade, pois pulou algumas séries. Ele sabe tudo sobre computadores e consegue invadir o sistema da NASA para roubar o projeto de uma máquina do tempo.

Você é parecido com seu personagem? Já teve problemas para se enturmar na escola?
Na verdade, nunca enfrentei este tipo de problema. Eu sempre tive muitos amigos e me esforço para ser legal com todo mundo. Charlie, meu personagem, também se esforça para ser legal. Se bem que eu ainda não cheguei ao último ano do ensino médio, isso pode fazer diferença. E eu também não sou tão inteligente quanto ele. Ele só tira A+. Minhas notas são A ou B, em média.

Você acha que seria legal voltar no tempo?
Seria bem legal, mas acho que 48 horas é pouco tempo. Se eu pudesse voltar ao passado, gostaria de ver Abraham Lincoln [ex-presidente dos Estados Unidos] ao vivo e conversar com George Washington [primeiro presidente dos Estados Unidos]. E adoraria ir a shows dos Beatles e do Elvis.

Por que ver o filme "Minutemen: os viajantes do tempo”?
É ótimo para ver em família, todos vão rir bastante. E a mensagem é muito bacana, de que você não deve se preocupar em ser popular. Deve ser você mesmo.


O ator Luke Benward

Escrito por Gabriella Mancini às 14h52

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Demi no Brasil

Foto Divulgação


Demi Lovato tem apenas dezessete anos e toca guitarra e piano, canta, faz suas próprias músicas, e ainda é atriz de séries como "Sunny Entre Estrelas" e filmes como "Camp Rock".

A multitalentosa adolescente está em turnê para divulgar seu segundo disco: "Here We Go Again".

A boa notícia é que desta vez o show chegará ao Brasil. Ele está agendado para o dia 27 de maio, no Rio de Janeiro (HSBC Arena - Avenida Embaixador Abelardo Bueno, 3401) e dia 28 de maio, em São Paulo (Via Funchal - r. Funchal, 65; tel. 0/xx/11/2144-5444).

Os ingressos já estão à venda e custam de R$ 190 a R$ 380 no Rio de Janeiro e de R$ 180 a R$ 300 em São Paulo. A classificação indicativa é livre.

Escrito por Gabriella Mancini às 14h15

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Invasão de sapos gigantes

Fotos Divulgação

Naruto está de volta, e agora vai enfrentar inimigos de peso: sapos gigantes.

Na terceira temporada do desenho, exibida no canal pago Cartoon Network a partir de amanhã, você acompanha o treinamento do ninja alaranjado e ainda confere as finais da prova Chuunin.

Os novos episódios serão exibidos todas as quartas-feiras, às 19h30.

 

Escrito por Gabriella Mancini às 16h06

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Viaje com Darwin

Fotos Divulgação


A bordo do navio Beagle, o biólogo Charles Darwin viajou ao redor do mundo pesquisando e registrando suas belezas. Algumas delas estão em fotos e desenhos que você pode ver de pertinho na exposição "Charles Darwin: evolução para todos!”, em cartaz em São Paulo. Tem até uma réplica do porão do navio Beagle.

Dá para aprender bastante sobre a vida de Darwin, e também sobre a famosa Teoria da Evolução, através de réplicas de fósseis de animais, ilustrações, fotografias, mapas, documentos originais e filmes.

Para conferir:
Exposição "Charles Darwin: evolução para todos!”
Onde: Museu de Zoologia (av. Nazaré, 481, Ipiranga; tel. 0/xx/11/2065-8100)
Quando: de terça a domingo, das 10h às 17h. Até 30/4
Quanto: R$ 4

Escrito por Gabriella Mancini às 15h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais coelhinhos

Inspirados na mitologia

 

Leandro Moraes/Folha Imagem

Elizabeth com os coelhos Páris e Pandora

Elizabeth Mirsky Coppini, 12, foi visitar uma amiga e seu coelho que acabava de dar cria. Não deu outra: apaixonou-se por um filhote marronzinho e ficou com ele.

 

Como os pais do filhote se chamavam Cloe e Dafne _nomes da mitologa grega_, o marronzinho ganhou o nome de Páris, também da mitologia. “Gosto de ler sobre mitos. A coelhinha que ganhamos depois também recebeu um nome desse tipo: Pandora”, conta Elizabeth.

 

O macho e a fêmea se dão bem, mesmo sendo muito diferentes. “Páris é mais calminho, a Pandora é mais ‘malvada’. Ataca, tem umas maluquices dela. Você começa a fazer carinho nela e, de repente, ela vira e te morde. É uma coisa meio louca”, diz a dona da coelhinha.

 

Além de mais calminho, Páris é chegado num doce. “Ele é louco por brigadeiro. Quando fazemos, sempre dou uma colher para ele lamber.” Uma vez o guloso pregou um susto na dona, quando caiu no vaso sanitário. “Descobrimos pelo barulho. Fomos procurar e lá estava ele com as patinhas molhadas.”

 

“Gosto de coelhos porque eles têm o jeitinho deles. Gosto quando começam a colocar o narizinho para cheirar,  lamber...”

 

 

Dezoito coelhos

 

Foto Arquivo Pessoal

Anna Gabriella e um de seus dezoito coelhinhos

Um coelho chegou, depois outro, um terceiro deu cria e... dezoito coelhinhos se instalaram na casa de Anna Gabriella Agazzi Migotto, 10.

 

Os nomes são divertidos: tem o Tico e o Teco, que ganharam esse nome porque eram irmãos e parecidos com o desenho animado. A namorada de Tico foi batizada de Tica. Tem também o Arisco, que tinha medo de gente, a Moita, que vivia escondida atrás da moita, e o menorzinho da turma, chamado de Pitoco.

 

Anna diz que dá trabalho cuidar de tanto coelho. Os bichinhos fazem sujeira, mas ela garante que mesmo assim vale a pena tê-los. “Eles são quietinhos e não incomodam ninguém. Às vezes queremos silêncio e eles não latem, nem cantam o hino nacional (como fazia uma calopsita que eu tinha).”

 

Ela se lembra de uma vez em que uma das coelhos deu cria a sete filhotinhos debaixo da jabuticabeira de seu quintal. “Para quem adora filhotinhos, ter coelho é legal porque eles dão cria muitas vezes, e com muitos filhotes.”

Escrito por Gabriella Mancini às 14h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Coelhinho de estimação

De olhos vermelhos, de pelo branquinho, ou marrom, ou pintado. Assim é o coelhinho, escolhido por muitas crianças como animal de estimação. Conheça algumas delas e saiba por quê elegeram o coelho como seu bichinho.

Um coelhão comilão

Filipe Redondo/Folha Imagem  

Os irmãos Felipe e Camila alimentam o coelho Ioiô

Camila Françoso Rosso, 10, gostava muito de coelhos e de golfinhos. Como não dava para ter um golfinho como animal de estimação, ficou com o coelho. E gostou da ideia. “Coelhos são legais e diferentes. E não dão muito trabalho”, diz a menina.


Mas seu irmão Felipe, 7, não concorda. “Dá um pouco de trabalho porque ele come tudo: planta, folha, fio de telefone. Meu pai falou que se ele continuar comendo fio ele vai virar um ‘coelhão’, que é uma mistura de coelho com orelhão [telefone público].” Felipe gosta de ter um coelho em casa “porque não é muita gente que tem. Daí é legal ser uma dessas pessoas que têm.”

 

Camila e Felipe são os “pais” do coelho Ioiô, um animal tão chique que ganhou até batizado, com direito a bolo e votação para escolher seu nome. “Meu irmão me chamava de Iaiá, então ficou Ioiô para combinar comigo”, conta Camila.

 
Presente de Páscoa


Adriano Vizoni/Folha Imagem

Heitor e Heuli

Na Páscoa do ano 2000, o garoto Heitor Vieira Rodrigues, 9, pediu um presente diferente: em vez de ovos de chocolate, ele queria um coelho.


Foi assim que a coelha Heuli chegou na sua casa. O nome foi herdado da coelha da mãe, um bichinho que morreu há algum tempo.


Mas a coelhinha de Heitor tem um apelido: minha fofinha, e é assim que o dono a chama. “Ela me escuta chamando e já pula na gaiola para ganhar carinho.” Coelhinha esperta!


Esperta e bagunceira, avisa Heitor. “Não posso deixá-la solta pela casa.” Mesmo assim Heitor adora sua coelhinha.


“O mais legal de ter coelho é que é bonitinho e dá para brincar bastante com ele.” 

Escrito por Gabriella Mancini às 14h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Teresa se despede

Ilustração Aline Abreu


Os alunos do primeiro ano da Escola Interativa de Guaxupé, MG, gostaram tanto da minissérie "Teresa", publicada na Folhinha, que resolveram inventar uma continuação do texto.
 
Confira Teresa virando letra de alfabeto:
 
"A ferida de Teresa formou casquinha, mas ela continua querendo entender essa coisa gigante e misteriosa que é o mundo em que vivemos. Dessa vez, ela resolveu participar do alfabeto. Entrou no meio das letras, mas logo pensou: 'Qual será o meu nome?'

Foi um espreme, espreme e, como não havia lugar na fila, Teresa resolveu ficar ao lado do Z. Na escola, as crianças não entendiam nada e apelidaram Teresa de Z1.

Teresa até se esforçou, mas não conseguiu espaço em nenhuma palavra. No alfabeto permaneceu parada até que um dia não aguentou mais e saltou. Caiu dentro de uma lagoa.

Teresa então pensou: 'Que água deliciosa!' Deve ser muito bom ser água."
 
O último capítulo da minissérie Teresa, criada por Marcelo Romagnoli, será publicado amanhã na Folhinha. Lá você também confere o desenho que a turma de Guaxupé a partir da minissérie.

Escrito por Gabriella Mancini às 17h59

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

De frente para o medo

Fotos Divulgação

A autora e ilustradora Janaina Takaoka é corajosa. Para seu primeiro livro, escolheu falar sobre medo. E o encarou sozinha: criou, escreveu e desenhou a história do livro "Tem um Monstro no Meu Jardim" (ed. Escrita Fina; R$ 42).

Na Folhinha deste sábado você confere uma entrevista com Janaina. Leia a continuação a seguir:

O livro fala sobre medo de monstro. Do que você tinha medo quando era criança?
Tinha muito medo de histórias de fantasmas e não gostava do escuro: o que mais me apavorava eram os ruídos, na noite, que eu não conseguia identificar exatamente o que eram: galhos batendo na janela acabavam virando garras de monstro tentando entrar no meu quarto e assim por diante.
 
- E agora, já crescida, tem medo de quê?
 Ainda tenho medo de histórias de fantasma, mas ao mesmo tempo gosto muito desse tipo de narrativa, tanto no cinema quanto na literatura. Acho muito divertido escrever histórias de terror também: todo mundo gosta de levar sustos de vez em quando.
 
- Como surgiu a ideia do livro? Pode contar um pouco sobre seu processo de criação? O que vem primeiro: a palavra ou a imagem?
 Adoro escrever sobre monstros, criaturas ao mesmo tempo ameaçadoras e encantadoras. Esse livro surgiu de uma única imagem- um menino pequeno tentando espantar um monstro de um canteiro de flores. Achei a ideia de um bicho  gigantesco no meio de plantas delicadas interessante e a partir daí fui desenvolvendo o resto da história. 
 
Qual é a técnica usada nestas ilustrações? Quais técnicas diferentonas costuma ou gosta de usar?  
Usei aquarela e guache, duas técnicas que utilizo bastante porque gosto do modo como a cor fica: brilhante, mas quase transparente. Também combina com os traços finos que faço, o resultado fica leve, com movimento. Às vezes trabalho com colagem também, por isso guardo objetos que acho interessantes- folhas secas, ingressos de cinema, papel de presente... Às vezes minha mesa de desenho fica uma bagunça com todos esses “achados”!


- O que precisamos fazer para mandar nossos monstros embora?
Como faz o menino do livro, o melhor é enfrentá-los de uma vez. A batalha pode ser até divertida e, como diz um de meus escritores preferidos, G.K Chesterton, as histórias infantis e contos de fada não ensinam às crianças que os dragões ( ou, nesse caso, os monstros) existem, mas sim que podemos vencê-los.



Escrito por Gabriella Mancini às 06h48

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, 3/4, na Folhinha

 
  Foto Divulgação

Bichos
Conheça o coelho-brasileiro Tapiti, que daria um bom entregador de ovos de Páscoa
 
Minissérie
No último capítulo da minissérie Teresa, a menina decide experimentar como é ser coisa
 
Teatro
São Paulo ganha oito peças de teatro gratuitas para crianças

Escrito por Gabriella Mancini às 00h26

Comentários () | Enviar por e-mail | Bastidores | PermalinkPermalink #

Agenda de Páscoa

Foto Túlio Grespan/Folha Imagem



Confira as dicas da Folhinha para você fazer outras coisas no feriado de Páscoa além de só comer chocolate:

- Fábrica de Chocolate

Na minifazenda Pet Zoo (estrada de Caucaia do Alto, 4.101, Cotia, SP; tel. 0/xx/11 4158.1664), a programação especial começa amanhã com a visita do Senhor Coelho, que vai contar histórias sobre a Páscoa.

Depois, você poderá preparar seus próprios ovos de chocolate com a ajuda de monitores, que vão ensinar o passo a passo. Os ovos podem ser levados para casa, mas antes você terá que participar da caça aos ovos e procurá-los pela fazendinha. O ingresso custa R$ 23. Até programação especial termina no domingo.

- Passatempos variados

No espaço Passatempo Recreação & Estudo (r. João Álvares Soares, 1.314, Campo Belo), a caça aos ovos acontece no sábado pela manhã. Tem também oficina de Páscoa, até o dia 6/4, com pintura, criação de jogos de memória, confecção de máscaras de coelho, de cordões e de colagens. 

Para participar das atividades no espaço Passatempo é necessário fazer inscrição pelo telefone 0/xx/11/5042-2739 ou 5042-2720. Valor: R$ 38 por 2 horas. 

Escrito por Gabriella Mancini às 19h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Blog da Folhinha O blog da Folhinha é um espaço virtual para interação das crianças com o suplemento impresso publicado pela Folha de S.Paulo aos sábados. É produzido pela editora, Patrícia Trudes da Veiga, pela editora-assistente, Gabriela Romeu, além de outros colaboradores.
Mapa do Brincar

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha Online.