Blog da Folhinha

Um espaço de interação com a criança

 

Cheio de sons e histórias

O Caboclo d’Água é uma figura famosa em Minas Gerais, lá pelas bandas do rio São Francisco. Sempre pertinho dos rios, o tal Caboclo é apaixonado pelo som da viola. Tão apaixonado que ele rapta os violeiros para o fundo das águas. É por isso, dizem, que nenhum violeiro gosta de tocar perto de rio, riacho ou lagoa.


Quem conta a história é o ilustrador, violeiro e escritor Fábio Sombra, que acaba de lançar “Curupiras, Sacis e Outras Criaturas das Florestas - Um Guia de Observação” (ed. Rocco; R$ 45). O livro traz muitas curiosidades e causos de seres que habitam as matas brasileiras.


Daria até para dizer que o escritor foi atingido pelo mesmo encantamento do tal Caboclo d’Água. Ele descobriu os sons da viola quando era ainda menino, nas férias que passava no interior mineiro. Bem mais tarde, pegou o instrumento emprestado de um amigo e logo aprendeu a tocar.


Mas ele não é um menino do interior, não. Nasceu na cidade, no Rio de Janeiro. “Como criança, lá [no interior de Minas] eu era o bobo. Não sabia andar a cavalo nem descascar laranja”, conta. Aprendeu logo. E passou a se interessar pela cultura caipira.
Foi nessas férias que também tomou gosto em ouvir causos sobre seres estranhos, que ele diz acreditar existir. “Aí está a raiz de tudo o que escrevo”, diz Sombra, filho de mãe mineira e pai amazonense (“um bom contador de histórias”).

Esse gostinho por histórias desabrochou primeiro em "A Lenda do Violeiro Invejoso" (ed. Rocco), um juvenil sobre dois irmãos violeiros que disputam quem é o melhor nas pelejas (tipo de desafio em que o violeiro canta versos, geralmente improvisados).

Na Folhinha de 30 de maio, falamos sobre o novo livro do autor. Abaixo, assista a trechos da entrevista que Fábio deu na Casa de Livros (www.casadelivros.com.br), em São Paulo. Lá ele fala sobre sua infância, comenta sua obra e até canta pelejas em sua viola de cocho, da região pantaneira. Detalhe: essa viola dele ainda não foi batizada, mas as outras três têm nome (Alcidina, Aline e Efigênia!).

Agora, ouça uma história sobre o João do Mato contada por Fábio Sombra. É uma história de “Curupiras, Sacis e Outras Criaturas das Florestas - Um Guia de Observação”.

Escrito por Gabriela Romeu às 21h53

Comentários () | Enviar por e-mail | Conta outra? | PermalinkPermalink #

Uma professora pra lá de especial

Brincadeira dá um trabalho danado! Estamos a mil por conta do Mapa do Brincar, e são muitas as surpresas que estão surgindo no caminho.

Hoje mesmo ligou aqui na redação da Folhinha uma professora de música lá de Salvador, na Bahia. É Sálua Chequer, que pesquisa há tempos as brincadeiras e os brinquedos do país, principalmente do interior baiano, onde nasceu. Ela contou que tem em casa um acervo com mais de 400 brinquedos populares e prometeu mandar fotos para a gente conhecer! Estamos esperando para colocar aqui no blog.

Ao pesquisar, descobri que ela tem um grupo, Camerata Popular do Recôncavo, com um belo repertório de músicas populares pesquisadas em Estados como Bahia, Pernambuco, Alagoas, Piauí e Ceará. Dá para conhecer o trabalho deles no Myspace (

www.myspace.com/cameratapopulardoreconcavo).

Sálua está interessada em divulgar o projeto no interior da Bahia, e nós adoramos a ideia, pois queremos que crianças de todos os cantos do país entrem nesse mapa.

Depois, trocamos e-mails, e ela lindamente escreveu: "Fiquei zonza de alegria quando me deparei com a matéria [o projeto do Mapa do brincar]...  Sabe aquela alegria que chega a dar gastura e a gente não sabe explicar a razão? Pois então foi o que eu senti". E, apressadamente, completou: "Depois a gente se fala mais. Agora é o recreio aqui no colégio, e eu vou correndo brincar com meus alunos, é um momento muito especial. Sempre passo o recreio com eles, é uma troca de carinho e de aprendizado muito grande. É a 'pró' fora da sala de aula, brincando com as crianças".

Vai, Sálua! Com certeza, seus alunos estão esperando ansiosamente por você!

Sálua em apresentação do grupo Camerata Polular do Recôncavo

Escrito por Gabriela Romeu às 19h43

Comentários () | Enviar por e-mail | Mapa do Brincar | PermalinkPermalink #

Sabe o que é bila?

 
 

Sabe o que é bila?

Bila é como os meninos do sertão do Ceará chamam a brincadeira de bolinha de gude. E olha que eles são bons nisso.

Na cidade de Salitre, no Cariri (sertão cearense), visitei uma comunidade quilombola chamada Lagoa dos Crioulos. O local ganhou recentemente o título de quilombola, e os moradores de lá ainda estão resgatando suas origens.

Pertinho da casa em que a moradora recebeu o meu grupo com os mais deliciosos quitutes à base de milho (é tempo de colheita lá), conheci três garotos que são feras no assunto. Eles contaram como gostam de jogar bila e mostraram que são fascinados pela brincadeira.

Mas não é sempre que jogam bila. Tem tempo pra tudo, explicam os garotos. Tem época que a onda é jogar peteca, em outra a moda é a bila e há ainda tempo para rodar pião. Ou seja, quando eles estão envolvidos com uma brincadeira, só brincam com aquilo. Não tem aqueli de brincar de várias coisas ao mesmo tempo.

No vídeo abaixo, Felipe Matheus Ermenegildo da Silva, 13, Francisco Anderson Ferreira Pereira, 12, e Alessandro Guedes da Fonseca, 12, falam como se divertem com a bila. E você: mande para cá como é que brinca com bolinha de gude (ou com o nome que você der para a brincadeira)!

Escrito por Gabriela Romeu às 23h06

Comentários () | Enviar por e-mail | Mapa do Brincar | PermalinkPermalink #

Vagalum tum tum!

O ator Angelo Brandini, do grupo de palhaços Doutores da Alegria, é um dos dramaturgos mais bacanas da safra contemporânea. Ele é mestre em transformar histórias clássicas, talvez meio áridas para crianças, em verdadeiras pérolas nos palcos.

Foi assim com "Othelito" (de "Othelo, de W. Shakespeare) e "Senhor Dodói" (de "O Doente Imaginário", de Molière), ambos premiados pelo Prêmio Femsa de Teatro Infantil e Jovem.

Trocando e-mail com Brandini sobre o projeto Mapa do Brincar, ele contou que o nome de seu grupo teatral, Vagalum Tum Tum, tem origem numa brincadeira que fazia nos tempos de menino, lá em Minas Gerais.

Ele explica que "Vagalum é apenas um canto ou um grito ritmado", usado para atrair os vagalumes. "Como em Minas Gerais dá sempre uma preguiça falar uma palvra inteira, vagalume virou 'vagalum'", brinca Brandini.

Aí, nas brincadeiras à noite, as crianças cantam assim: "Vagalum Tum Tum, seu pai tá qui, sua mãe tá qui, tá tudo aqui". "E eles vinham!", conta.

O nome de um grupo com tal inspiração só podia fazer sucesso mesmo.

Se você já é crescido e tem histórias assim para contar, mande para o e-mail do Mapa do Brincar (mapadobrincar@uol.com.br).

Abaixo, confira vídeo em que Brandini fala de seu trabalho.

 

 

Escrito por Gabriela Romeu às 23h05

Comentários () | Enviar por e-mail | Mapa do Brincar | PermalinkPermalink #

Conta mais!

 
 

Conta mais!


A escritora Heloisa Prieto estreia a nova seção do blog da Folhinha, chamada Conta outra?

Nesse espaço, vamos trazer vídeos de bate-papos com gente que faz coisas legais para crianças. Ou gente que tenha coisas legais para contar para as crianças. São escritores, ilustradores, atores, cantores, atletas... Você quer sugerir alguém?

Confira abaixo a conversa com Heloisa, que acaba de lançar dois livros para crianças (“Divinas Desventuras”, pela Companhia das Letrinhas, e “Lobo de Estimação”, pela editora Projeto).

Escrito por Gabriela Romeu às 23h01

Comentários () | Enviar por e-mail | Conta outra? | PermalinkPermalink #

De geração em geração

Recebemos no fim de semana uma mensagem de uma antiga leitora da Folhinha. Leia o que ela nos contou abaixo:

"Saibam que sou fã de vocês há muuuuitos anos, desde que o Pedrão era pequeno, depois nasceu o irmão do Pedrão, o Pedrinho, e eu continuei acompanhando e colecionando a Folhinha, para leitura dos meninos, para trabalhinhos na escola... Mas o tempo passa rápido, e os Pedros cresceram! Hoje, o Pedrão tem 27 anos, é professor de academia lá em Luxemburgo. O Pedrinho, com 21 anos, é papai da Sophia, com 10 meses.
Quando eles ficaram grandes, mesmo assim eu continuei lendo a Folhinha. Sempre passava o caderno para alguma criança, geralmente para os filhos das minhas empregadas.
Daí nasceu meu sobrinho André, 10, e eu mandava a Folhinha para a casa dele.
Agora, em frente a minha casa, mora uma família com um casal de gêmeos de 7 anos. Há um mês, eles colocaram uma casinha de correio bonitinha, com passarinho e tudo! Daí eu decidi colocar todo sábado a Folhinha num envelope e deixá-la na caixinha de correio deles. Vocês não imaginam que gostoso está sendo essa brincadeira! Todo domingo tem uma respostinha deles sobre o jornal.
 
Meu nome é Marisa de Paula Souza, tenho 56 anos, moro em Vargem Grande Paulista, SP."

Escrito por equipe da Folhinha às 18h05

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jonas em São Paulo

Sem grandes inovações ou invenções, os Jonas Brothers se apresentaram ontem em São Paulo num show empolgante e com bastante energia. Na bagagem, não trouxeram o palco em formato de arena, nem os fogos de artifício ou a pirotecnia. A plataforma que avança até a platéia encolheu também e ficou bem menorzinha. Mas isso não pareceu fazer muita diferença para os fãs que se divertiram e cantaram bastante, principalmente os sucessos “BB Good” e “Look Me In The Eye”.

No fim das contas, muito do que se viu no palco do estádio do Morumbi poderá ser visto também no filme “Jonas Brothers 3D: O Show”, que estreia nos cinemas este mês. Tem desde a brincadeira de Nick jogando baquetas para outro bateirista no meio de uma canção até as piruetas de Kevin com o violão.

Outras cenas que se repetiram foram as acrobacias e giros que eles fazem entre uma música e outra e a versão mais acústica de “Gotta Find You”, que precede a participação especial de Demi Lovato, em que os três irmãos se sentam na ponta da plataforma com duas violinistas. Ah, e tem também o momento clássico em que Joe filma a plateia com uma câmera enquanto um telão exibe as imagens lá no fundo.

A entrada da banda no palco de ontem à noite também foi mais modesta. Em vez de plataformas e portas secretas, eles saíram de trás de uma cortina branca que, nos primeiros acordes, deixava ver só as silhuetas dos astros de “Camp Rock”.

Enquanto Joe arriscava o português com expressões como “oi”, “te amo” e “obrigado”, Nick agradeceu a plateia pela presença e convidou a todos para assistir ao novo vídeo de “Paranoid”, que acaba de ser lançado. “É um prazer tocar para vocês esta noite. Essa viagem foi incrível porque vocês nos receberam muito bem. Vocês são definitivamente um de nossos maiores públicos”, disse o Jonas caçula.

Mas foi o irmão do meio que arrancou os maiores gritos da plateia. Começou quando tirou a jaqueta. Depois, quando pulou no piano que Nick tocava e se enrolou na bandeira brasileira, para depois descer do palco, subir na grade e cantar agarradinho às fãs da fila do gargarejo.

No fim da noite, as fãs concordavam que, mesmo sem fogos, telão de água, show de laser ou espuma, os irmãos sabem fazer um bom show para qualquer fã de verdade delirar.

“O show foi muito, muito legal, melhor do que eu esperava. Mas era meio irritante os pais que punham os filhos nos ombros e entravam na nossa frente. Daí, não dava para ver nada!”
RAFAELA CARAZZAI, 10

“Eu adorei quando eles cantaram ‘Tonight’! Eles estavam muito animados no palco e deu para cantar e dançar bastante com eles.”
VICKY SETTON, 10

“Gostei que o show começou bem no horário, porque a gente chegou aqui às 9h e conseguimos um lugar em que dava para ver direitinho. Achei emocionante a parte em que o Nick tocou piano.”
LARA ROMANEK, 10

“O show não tinha nenhuma novidade, mas mesmo assim foi o máximo, porque a gente não tinha visto de perto essas coisas. ‘Burning Up’ é muito legal ao vivo. Eu estava muito ansiosa para ver eles tocando essa música porque ela é o máximo!”
ISABELLA HANDEL, 12

“Adoramos o show, mas não gostamos de uma coisa que aconteceu na entrada. Fizeram a gente jogar fora os cartazes que tínhamos feito para os Jonas, mas teve gente que os escondeu no tênis ou na bolsa e conseguiu entrar. Dá vontade de ir lá no lixo e pegar o pôster de volta.”
GABRIELLA OLIVEIRA, 10 e RENATA ARAUJO, 9

 

No show de abertura, Demi Lovato entrou no palco pontualmente às 18h30 e já levantou a platéia com “La La Land”. Ela também se impressionou com as 45 mil pessoas que estavam por lá: “É uma sensação ótima ver daqui de cima tantas mãos e bastões luminosos!”

E aproveitou para falar de como está sendo a turnê. “Essa viagem à América do Sul foi o máximo! Nós conhecemos tantos fãs! Nunca vou me esquecer dela! Eu nem sabia que vocês sabiam quem eu era por aqui!” disse antes de dedicar “Don’t Forget” aos fãs brasileiros.

“Adorei ver a Demi de perto candanto porque ela estava bem animada. E ela toca violão muito bem!”
SOPHIA MACEDO, 7

“A Demi estava linda, e adorei o som bonito que ela frez no teclado.”
GABRIELA AVIAN, 7

Já a Banda Cine que se apresentou antes de todos até conseguiu fazer algumas fãs pularem com eles, mas não agradaram a todo mundo...

“Não gostei nada do show deles porque eu nem sei quem eles são e as músicas são muito agitadas e estranhas. O clipe deles, que passou depois no telão, também é estranho. Tem três partes que nem fazem sentido.”
ALEXIA AKASAKA, 8

“O show do Jonas foi bem legal, mas esses caras do primeiro show foram meio chatinhos. As músicas não eram legais e ninguém sabia quem eles eram.”
CLARISSA FERRASOLI, 11


Confira abaixo um vídeo com os melhores momentos do show, gravados pelas amigas Gabriella Oliveira, 10, e Renata Araújo, 9


Jonas Brothers, a saga

Leia também:

O Set List!

Falta pouco!

Encontro com Jonas Brothers e Demi Lovato

Esperando os Jonas

Jonas Brothers na América do Sul

Turnê Jonas Brothers

Escrito por Clarice Cardoso às 16h52

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O Set List!

Quem está em casa tristonho e imaginando como está sendo o show de Jonas Brothers em São Paulo vai ficar sabendo de pelo menos uma informação antes de quem está no Morumbi: o set list do show, que acaba de ser afixado na sala de imprensa. Confira abaixo o que a banda toca daqui a algumas horas.

SET LIST JONAS BROTHERS

"Way We Roll"

"Shelf"

"Hold On"

"BB Good"

"Goodnight & Goodbye"

"Video Girl"

"Gotta Find You (This Is Me)"

"Still In Love With You"

"Tonight"

"Year 3000"

"Paranoid" (SIM, A MÚSICA DO DISCO NOVO!)

"Little Bit Longer"

"Look Me In The Eye"

"Play My Music"

"Love Bug"

"Burning Up"

"Hello Beautiful"

"SOS"

A banda Cine acabou de deixar o palco. Apesar de algumas falhas no som e no microfone no começo da apresentação, os meninos conseguiram empolgar alguns dos primeiros fãs que estavam no estádio e já se acotovelavam na grade. Principalmente dizendo coisas como "Nós também gostamos de Jonas Brothers!" E, daqui a cerca de dez minutos, é a vez de Demi Lovato.


 Jonas Brothers, a saga

Leia também:

Falta pouco!

Encontro com Jonas Brothers e Demi Lovato

Esperando os Jonas

Jonas Brothers na América do Sul

Turnê Jonas Brothers

Escrito por Clarice Cardoso às 18h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Falta pouco!

Os fãs cariocas já podem descansar as gargantas em paz e relembrar os momentos do show que aconteceu ontem. Já os Jonas Brothers ainda têm muito trabalho pela frente, mas também levam boas memórias do Rio. Pelo menos pelo que escreveram em sua página do Twitter, eles adoraram o passeio que fizeram por aqui. Na tarde de sexta, visitaram o Corcovado seguidos por uma legião de fãs:

Como fizeram nos outros países por onde passaram, os irmãos também publicaram uma foto com trajes típicos do Brasil. E adivinha só qual foi o "look" escolhido por Nick?

Agora é só os paulistas aquecerem o gogó e se prepararem para a apresentação que acontece daqui a algumas horas no Morumbi. A previsão é de que os irmãos subam ao palco às 19h30, depois de Demi Lovato, que se apresenta às 18h30, e da Banda Cine, que abre a noite às 17h30.


"O Rio é o máximo! Adoramos vocês! Agora, para São Paulo!"


 

 Jonas Brothers, a saga

Leia também:

Encontro com Jonas Brothers e Demi Lovato

Esperando os Jonas

Jonas Brothers na América do Sul

Turnê Jonas Brothers

Escrito por Clarice Cardoso às 15h18

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Passarinhólogos"

Não precisa ser biólogo nem ecólogo (estudioso de ecologia): qualquer interessado, de qualquer idade, pode se tornar um observador de aves. Esta é uma das aprendizagens que a “Avistar” (4º Encontro Brasileiro de Observação de Aves) traz para quem visitá-la.

Dentro da seção “Avistar Infantil”, uma programação especial incentiva as crianças a observar a natureza no seu dia-a-dia e conviver em harmonia com o meio ambiente. Ela inclui oficina de origami de aves, pintura, contação de histórias e jogos adaptados para a fauna brasileira.  Numa das oficinas, as crianças aprendem a construir um ninho de joão-de-barro com barro e gravetos e visitam uma casa de joão-de-barro em tamanho grande. Dá até para entrar e conhecer de perto como esse pássaro-arquiteto constrói sua morada.

Ainda dá tempo de conferir de perto a Avistar, que acontece no Parque Villa Lobos. No domingo, 24 de maio, tem oficina de pintura de aves, gincana “O som das aves”, ninho do joão-de-barro e trilha das aves, além de uma grande tirolesa à disposição das crianças.

Todas as atividades são grátis e recomendadas para crianças a partir de 5 anos de idade.

Onde: Parque Villa Lobos (av. Professor Fonseca Rodrigues, 1.655, Alto de Pinheiros São Paulo, SP)

A programação completa está no site do evento: www.avistarbrasil.com.br

Escrito por Gabriella Mancini às 09h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A importância do brincar

 A Folhinha está a todo vapor com o projeto do Mapa do Brincar. E esperamos a sua participação para disseminar a brincadeira de todo o país.

Adriana Friedmann é uma das nossas mestres em brincadeiras do Mapa do Brincar. Antropóloga, ela pesquisa esse universo desde os anos 80. Pesquisou que, em vários países do mundo, havia uma onda de resgate das brincadeiras tradicionais.
É mais ou menos o que vamos fazer no Mapa do Brincar. Mas não vamos resgatar. Vamos é registrar como as crianças andam brincando pelo país.
Conte como é a sua brincadeira e descubra diferentes jeitos de brincar. Quanto mais gente participar mais diversificado (e colorido!) será esse mapa.
Para entrar no Mapa do Brincar, leia tudo no botão amarelo ao lado.
Abaixo, confira vídeo em que Adriana fala da importância do "simples" ato de brincar.

Escrito por equipe da Folhinha às 09h29

Comentários () | Enviar por e-mail | Mapa do Brincar | PermalinkPermalink #

Encontro com Jonas Brothers e Demi Lovato

Há algumas horas, os Jonas Brothers compareceram ã pré-estreia de seu novo filme, "Jonas Brothers 3D: O Show", no Cinemark Downtown, no Rio de Janeiro. Como era de se esperar, muito tumulto e gritaria do lado de fora do evento. Mas a confusão mesma era causada pelos adultos: mães e pais mais exaltados e nervosos do que seus filhos adolescentes.

Depois de muita luta para chegar à entrada de imprensa, a Folhinha finalmente conseguiu chegar perto dos Jonas numa entrevista coletiva ao som de berros (das fãs e dos jornalistas, tentando se ouvir). No vídeo abaixo, dá para se ter uma ideia de como foi esse breve encontro: (E aí, você consegue ouvir alguma coisa?)

Ainda bem que conseguimos chegar mais perto depois e realmente ouvir o que os irmãos falavam. Entre outras respostas, eles disseram que não esperavam ver tanta gente por lá hoje à noite. "Não esperava tanta gente aqui! Os brasileiros são muito animados e maravilhosos", disse Joe. 

Kevin adorou o Brasil e prometeu que pretende voltar. "Vamos fazer dois shows incríveis para vocês!"

Depois de enlouquecer um recorde de pessoas por metro quadrado e de andar por alguns metros de um tapete laranja, os irmãos não assistiram ao filme, saíram pelos fundos e retornaram ao hotel.

Como (ainda bem) a gritaria chega e vai embora com os irmãos, num breve momento de calmaria conseguimos bater um papinho rápido com a simpática Demi Lovato. Ela disse que está adorando os fãs da América do Sul e que eles estão curtindo bastante os shows que ela faz para abrir para os Jonas. Mas o que eles fazem nos intervalos entre uma apresentação e outra?


"A gente se diverte muito só de ficar junto. Eles são caras muito legais."

E qual o recado que ela dá para as fãs que têm ciúmes da amizade deles?


"Não se preocupem, não estou tentando roubar nenhum deles! Eles são como meus irmãos e são o máximo. Eu os adoro!"

Enquanto isso...

Do lado de cá da grade, os sortudos irmãos Bernardo, 6, e Clara Viana, 9, conseguiram chegar pertinho dos ídolos. "Consegui um autógrafo do Kevin. Ele é muito mais bonito e mais simpático pessoalmente!", contou Clara. Bernardo também comemorava. "Tiramos uma foto com a Demi Lovato, ela sim é que é linda!!!"

Lá fora, Letícia Costa, 10, não teve a mesma sorte. "Não consegui nem ver ninguém. Queria muito ver o Joe, gosto da franjinha dele!"


 Jonas Brothers, a saga

Leia também:

Esperando os Jonas

Jonas Brothers na América do Sul

Turnê Jonas Brothers

Escrito por Clarice Cardoso, do Rio às 01h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Esperando os Jonas

Sempre que alguma celebridade se apresenta no país é a aquela mesma coisa: centenas de fãs aguardam horas a fio para ver, por um breve momento, o ídolo acenar das alturas de um quarto distante. Eu, que nunca havia passado pela experiência antes, passei ontem cerca de quatro horas diante do hotel Copacabana Palace acompanhando os fãs que estavam por lá.

Apesar de os Jonas se mostrarem simpáticos em suas breves aparições (é verdade que eles surgiam algumas vezes para acenar para os fãs), os jovens que estavam por lá não estavam nas melhores condições (leia mais nos posts abaixo). Claro que a segurança da banda é importante, mas despistar e deixá-los esperando num local errado e não muito seguro não é algo muito bacana de se fazer.

De todo modo, isso não parecia afetar o ânimo de quem estava por lá. Principalmente os mais novos. Confira abaixo algumas das crianças que a Folhinha encontrou por lá durante a espera.

Em cima da grade em frente ao hotel, Milla Ferreira, 8, até topou dar entrevista, mas não tirava os olhos dos carros que passavam na avenida logo em frente. "Você viu o carro deles por aí? Estou esperando para mandar um 'tchauzinho'!". Junto dela, estava a tia-avó Ana Luiza Cabral, 67. "Nós moramos em Laranjeiras, pertinho do Corcovado. Viemos para cá e disseram que eles tinham ido para lá. Que desencontro!". Mas a garota continuava empolgada. Só não gostava muito de algumas fãs mais velhas que gritavam para cada carro que se aproximava da entrada do hotel. "Será que elas precisam berrar tando? Devem estar emocionadas, né?"

Maíra Antony, 11, e Flavia Martins, 12, eram das mais emocionadas com a expectativa de ver os ídolos. "As músicas deles falam de tudo o que eu sinto", disse Flavia. Veja mais no vídeo abaixo.

Mas nem todo mundo sabia ao certo o que fazia ali. Manoela Oliveira, 9, foi parar na porta do hotel por acaso, mas aproveitou para aguardar um pouquinho e tentar a sorte. "Vi a movimentação e vim ver o que estava acontecendo. Não entendo direito o que eles falam nas músicas, mas gosto bastante deles. Quero chegar perto para conseguir um autógrafo!"

As irmãs Stefani, 14, e Débora Manna, 10, vieram de Cataguazes, em Minas Gerais, para assistir ao show no Rio. "Gosto muito das músicas. Quero chegar perto dos três", diz Carla.

Já os amigos Pedro Rabelo, 11, e Gabrielle Freitas, 11, saíram da escola e foram para lá, animados, com um pedido em especial. Veja abaixo:


 Jonas Brothers, a saga

Leia também:

Jonas Brothers na América do Sul

Turnê Jonas Brothers

Escrito por Clarice Cardoso, do Rio às 01h16

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jonas na América do Sul

As fãs peruanas quase botaram abaixo o hotel dos em que os Jonas Brothers estavam. Eles até escreveram que foram acordados pelas fãs gritando do lado de fora do hotel. A loucura foi tão grande que a polícia teve de ser chamada para controlar a multidão. E, pelo vídeo abaixo, parece que eles adoraram!

Mas deve ser meio assustador estar dentro do carro no meio dessa multidão. Dá só uma olhada no que eles veem:

 

No Chile, a coisa não foi diferente. Eles escreveram que estavam muito bem impressionados e que tinham adorado o show em Santiago porque as fãs "sabiam cada palavra de cada letra". E também que adoraram ver as 43 mil pessoas na Argentina, onde usaram até camisa da seleção.


Jonas Brothers, a saga

Leia também:

Turnê Jonas Brothers

Escrito por Equipe da Folhinha às 00h16

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Turnê Jonas Brothers

Além do calor e do cansaço, os poucos mais de cem fãs que aguardavam pelos Jonas Brothers, trio de sucesso da Disney, no Rio de Janeiro, tiveram de enfrentar também o cheiro de urina na calçada e obras na rua República do Peru para, no fim, mal ver os ídolos.

Por volta das 16h, os fãs que esperavam diante do hotel Copacabana Palace foram orientados por seguranças a aguardarem ao lado de uma saída lateral, atrás de divisórias montadas no local. Apenas uma divisória flexível, montada por operários da prefeitura, separava os jovens de obras que eram realizadas a poucos metros dali. No começo da noite, muitas pessoas aguardavam encostadas na divisória, no meio da rua.

Só os funcionários do hotel cuidavam da segurança no local, mas a Folha não presenciou tumultos ou maiores incidentes. Apenas uma adolescente sentiu-se mal e foi socorrida pelas amigas. Vários pedestres e motoristas reclamavam da aglomeração no local.

Desconfiados, muitos adolescentes tentavam descobrir com funcionários por onde os irmãos chegariam, mas, mesmo assim, disputavam os supostos melhores lugares. Por volta das 18h, a banda chegou ao hotel escoltada pela polícia e entrou pela entrada principal, despistando os fãs e causando correria e alguns ataques de choro. Ao descer do carro, os irmãos acenaram por alguns momentos para os admiradores.

Antes de serem orientados pelos seguranças a se posicionarem na rua paralela, os jovens, descabelados e roucos, aguardavam diante do hotel e gritavam para cada carro preto ou van que passava pela av. Atlântica. Douglas Alves, 15, Elisa Xavier, 15, e Julia Zolia, 14, esperavam desde a madrugada para ver os ídolos com um cartaz. "Esperamos por eles no aeroporto, mas não vimos nada", afirmou Zolia, com os braços pintados.

Após acenar de volta para os ídolos, na entrada do hotel, Alves ajoelhou-se e chorou muito. "Isso é amor, muito amor!" Dali, Xavier fazia planos de como conseguir dinheiro para continuar atrás da banda, que deveria seguir para um evento dali a algumas horas. "É minha forma de agradecer por eles trazerem tanta alegria para a minha vida."

Helena Lins, 15, faltou à escola para ficar na porta do hotel. "Valeu a pena! Consegui dar tchauzinho quando eles apareceram na janela à tarde." Karine Brito, 17, estava irritada com o número pequeno de pessoas presentes. "Eles adoram ‘muvuca’, mas aqui tem muito menos gente do que no Peru. Parece que os brasileiros não querem prestigiá-los."

Postado por Clarice Cardoso, enviada especial ao Rio.

Escrito por Equipe da Folhinha às 21h29

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lendas do Cariri

Os meninos Francisco Iêdo Lopes, 12, e José Wilson, 12, mais conhecido como Momô, são roqueiros lá do Cariri. Eles participam do projeto da Fundação Casa Grande: são da bandinha de lata Os Cabinha, cuidam do Memorial Homem Kariri, sabem fazer gibi e ainda contam lendas da região.

Abaixo, ouça os garotos contando (e cantando!) duas histórias: a de Maara e a da Lagoa Encantada.

Postado por Gabriela Romeu.

Escrito por Equipe da Folhinha às 19h35

Comentários () | Enviar por e-mail | Bastidores | PermalinkPermalink #

Para cair no reisado

Na viagem pelo sertão do Ceará, lá no Cariri, foi incrível conhecer as mais genuínas manifestações culturais. O reisado é uma delas. Vi crianças dançando e cantando as canções do reisado lindamente. Mas não era aquela coisa de ensaiar algo folclórico para fazer uma apresentação só para "gringo" ver, não. O reisado fazia parte da cultura delas.

Maria Fabrislene, que tem 6 anos, é rainha do reisado. Ela é neta de mestre Antônio e, aos dois anos de idade, já dançava no colo do pai. Na casa da menina, ela coleciona vestidos de princesa, tem amarelo, branco, azul (parece o da Cinderela). Os vestidos foram feitos por senhoras da comunidade onde mora, em Juazeiro do Norte. E é a tia de Maria, Flaviana de Souza, 20 anos, que ajuda a arrumar a garota. Flaviana já foi rainha do reisado e diz que tem saudades daquela época. "Deixei de ser rainha com uns 11 anos, quando fiquei mocinha, e chorei muito por isso", lembra.

Amanhã, a Folhinha fala dos sons do sertão. Abaixo, acompanhe em vídeos a batida do reisado mirim do Menino Maluvido.

 

 

 Postado por Gabriela Romeu.

Escrito por Equipe da Folhinha às 19h11

Comentários () | Enviar por e-mail | Bastidores | PermalinkPermalink #

Sábado, na Folhinha

Show

"Tão perto, tão longe"
Palco dos espetáculos da turnê latina dos irmãos Jonas Brothers não deixa ídolos próximos dos fãs


Cinema

"Quando se apagam as luzes..."

Novos personagens colocam em mais enrascadas o guarda-noturno de "Uma Noite no Museu 2"

Teatro

"Um nobre narigudo"

Peça baseada no clássico "Cyrano de Bergerac" estreia no Tuca

Esporte

"É hora da largada"

Estão abertas as inscrições para a primeira Maratoninha de São Paulo, que acontece no dia 30

"Mapa do Brincar"

A Folhinha vai mostrar como andam se divertindo meninas e meninos de norte a sul do Brasil

Quadrinhos

Leia as tiras de Glauco e Galvão

Escrito por Equipe da Folhinha às 15h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Encontro no mundo das letras

Quem é fã de bons livros tem encontro marcado com vários escritores bacanas na 26ª Feira do Livro do Colégio Miguel de Cervantes, que acontece nesta sexta e sábado.

A escritora Ana Maria Machado é um dos destaques da feira: ela estará lá para lançar "Sinais do Mar", obra em que ela trabalha há mais de vinte anos e que marca a estreia da autora no mundo da poesia.

Confira outros destaques da "minibienal" abaixo:  

Jóia Tem bate- papo com o escritor Milton Célio de Oliveira, de "O Caso da Lagarta que Tomou Chá-de-sumiço", no sábado, às 9h.

Jóia O autor argentino Pablo Bernasconi conversa sobre o seu "Super-Herói ou Supervilão", no sábado, às 9h30.

Jóia Kátia Canton lança "O Maior Herói do Mundo", no sábado, às 10h.

Jóia Marina Colasanti fala de "23 Histórias de Um Viajante" e de "Uma Idéia Toda Azul" no sábado, às 11h.

Jóia O bate-papo com Toni Brandão sobre "O Garoto Verde" acontece no sábado, às 11h.

Jóia Ilan Brenman e Ionit Ziberman participam de uma contação de histórias de "As 14 Pérolas da Índia" e "Até as Princesas Soltam Pum" no sábado, às 14h.  

   ANOTE NA AGENDA
 
 
26ª Feira do Livro Colégio Miguel de Cervantes
   Onde: av. Jorge João Saad, 905; tel. 0/xx/11/3779-
   1800)  
   Quando: Sexta, das 9h às 14h, e sábado, das 9h às
   17h
   Quanto: grátis

Escrito por Equipe da Folhinha às 15h15

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Futuro mestre

 
Em Juazeiro do Norte, no interior do Ceará, lá na região do Cariri, um grupo de crianças está sempre junto para dançar e cantar o reisado com o mestre Antônio. É o grupo mirim de reisado do Menino Maluvido (que quer dizer teimoso, de "mau ouvido")

Mestre Antônio aprendeu a tradição do reisado com seus pais e avós. Agora, ele ensina filhos, netos e outras crianças da comunidade.

Lá, já tem quem queira seguir os passos de mestre Antônio. O menino Mateus Pereira Soares, 11, que participa de reisados da cidade desde os seis anos de idade, sonha em ser mestre. E olha que ele tem uma voz linda.

Ouça o menino cantar uma música que fala dos personagens do reisado logo abaixo.

Postado por Gabriela Romeu. 

Escrito por Equipe da Folhinha às 13h48

Comentários () | Enviar por e-mail | Bastidores | PermalinkPermalink #

Entre na brincadeira!

 
 

Entre na brincadeira!

A Folhinha está bolando um mapa divertido, diferente de todos os outros que você já conhece. Éo Mapa do Brincar, que convida crianças de todo o Brasil para contar como são suas brincadeiras. Para participar, é só ler as informações ao lado.

Enquanto esperamos sua participação, resolvemos ouvir a pesquisadora Renata Meirelles, que é "mestre em brincadeiras" ao lado de Adriana Friedmann no Mapa do Brincar. Com uma equipe afiada, elas vão ler as brincadeiras. E a equipe da Folhinha vai preparar uma edição especial e um site com o material analisado.

No vídeo abaixo, Renata fala dos brinquedos que já pesquisou pelo país e ensina uma brincadeira bem legal. Confira!

Escrito por Equipe da Folhinha às 00h48

Comentários () | Enviar por e-mail | Mapa do Brincar | PermalinkPermalink #

Viagem ao sertão

Não foi fácil chegar à região do Cariri, no interior do Ceará, por causa das chuvas da época do inverno. Deu num jornal cearense que nunca choveu tanto nos últimos 24 anos! E chuva demais também é problema no sertão. Enchentes, gente desabrigada, estradas destruídas... Aqui na região, por exemplo, as crianças de Nova Olinda estão sem aula nesta semana. Muitas crianças que moram na zona rural nem conseguem sair de casa.
Estou com o pessoal da Fundação Casa Grande, que é cuidada por um grupo de 70 crianças e jovens de Nova Olinda, que fica perto de Crato, Juazeiro do Norte, Assaré. É cuidada mesmo. São eles que organizam o local, definem o que vão fazer etc. - só dois adultos ajudam. Aqui, a garotada faz gibi, programa de rádio, escreve música, canta numa bandinha de lata, cria programa para TV, escreve cordel, brinca no parque...

É assim que eles aprendem um monte de coisas.

Lá pelo dia 22 de maio eles vão estar no Sesc Ipiranga, em São Paulo (vamos falar mais disso em breve na Folhinha), para fazer oficinas de gibi, rádio e cordel com outras crianças. E a bandinha de lata, os Cabinha, vai se apresentar num show com o Marcelo Camelo. Mas eles só falam é na namorada di cara... (a Mallu Magalhães).

Enquanto a viagem não chega, eles fizeram nesta semana um show na Fundação Casa Grande, num teatro lotado de meninos e meninas que cantaram animados músicas que falam sobre a vida de criança em Nova Olinda.

Veja trecho do show abaixo:

Postado por Gabriela Romeu.

Escrito por Equipe da Folhinha às 00h37

Comentários () | Enviar por e-mail | Bastidores | PermalinkPermalink #

Filme traz bebê mamute de volta à vida

Uma criança da etnia nenet, na Sibéria, junto à bebê mamute Lyuba/Divulgação

Um dia, em maio de 2007, um pastor de renas da Sibéria encontrou o corpo congelado de um pequeno mamute, às margens de um rio chamado Yuribei. Que susto que ele deve ter levado. Mas o pastor era esperto e tratou de avisar o diretor de um museu local sobre o seu achado. E logo vieram cientistas de todo mundo para ver e estudar esse que era um mamute bebê.

O incrível dessa descoberta era que o corpo estava em estado quase perfeito de conservação, com tromba, presas e até tufos de pelo! E era uma fêmea Ela foi batizada de Lyuba, que é o nome da esposa do pastor que a encontrou. Homenagem legal, né?

A partir daí surgiram um monte de perguntas: como ela era? O que ela comia? Como ela morreu? Como ela apareceu, de repente, às margens de um rio? Por que o corpo dela estava tão bem preservado? O que a pequena Lyuba pode nos ensinar sobre o mundo de 40 mil anos atrás, quando ela era viva?

As respostas (ou tentativas de respostas) para esses mistérios estão em um documentário, que estréia no domingo, 17/5, às 21h, no canal pago NatGeo.

A produtora e roteirista do filme, Adrienne Ciuffo, contou pra gente que usou recursos de computação gráfica para trazer Lyuba de volta à vida: Lyuba mamando, Lyuba andando, Lyuba tentando quebrar um galho com a tromba...

Adrienne contou também que foi fascinante acompanhar o exame dos dentes e das presas. “Você consegue ler toda a vida dela analisando as presas. Também encontraram evidência de que ela comia as fezes da mãe (o que ajudava no desenvolvimento de bactérias para digerir plantas)”. Uma pesquisa assim não envolve só números e dados chatos, diz ela. “O que os cientistas fazem também tem a ver com imaginação - eles ficam imaginado como era o dia-a-dia dela”.

Se, depois do programa, você quiser saber mais sobre o bebê mamute ou rever algumas imagens, acesse a página da revista National Geographic Brasil. Lá tem uma galeria de fotos e infográficos que ensinam sobre a vida e a morte de Lyuba.

 

Por Chiaki Karen Tada

Escrito por Equipe da Folhinha às 18h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Talentos do Haicai

velha lagoa

um sapo salta

o som da água

O poema acima, do japonês Matusuó Bashô, é provavelmente o mais conhecido do mundo. O haicai é um micropoema nascido no Japão no século 17 e é composto por três versos. A inspiração é, quase sempre, a Natureza.

E se você acha que leva jeito para poeta, pode participar do 8º Concurso Brasileiro de Haicai Infanto-juvenil, promovido pelo Grêmio Haicai Ipê. O tema deste ano é "Cores e Sons do Nosso Céu".

Para participar, é só procurar um lugar bom, se deitar e olhar com atenção para cima. Depois, imprima esta ficha de inscrição e, no verso, escreva um poema de três linhas de aproximadamente 17 sílabas no total. Daí é só pedir para a sua professora enviar até o dia 10/7 para o endereço abaixo. Mas atenção, só vão valer os poemas enviados por escolas!

   8o Concurso Brasileiro de Haicai Infanto-juvenil 
  A/C Teruko Oda
  Estrada de Santana, 1659 - Caucaia do Alto
  06723-100 - Cotia, SP

Escrito por Equipe da Folhinha às 23h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Site do Bob

As festas na Fenda do Bikini ainda mal começaram, mas Bob Esponja já ganhou o primeiro presente: entrou no ar hoje um site exclusivo deito pelo canal pago Nickelodeon para ele.

Lá tem um blog oficial dos criadores do desenho, curiosidades sobre os personagens e, o mais legal, vááários joguinhos.

Escrito por Equipe da Folhinha às 21h42

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Supresas da cidade

No caos de São Paulo, dá para encontrar boas surpresas. Na região central, na praça Buenos Aires (entre a av. Angélica e a rua Piauí, em Higienópolis), o pessoal da companhia Lúdicos conta e canta as histórias de Heitor Villa Lobos, nosso grande compositor, nos finais de semana.

No espetáculo "A Ciranda do Villa", são as cantigas de roda (13 ou 14 no total) que embalam a infância do menino Tuhu, apelido do compositor, que "ouvia mais do que devia". É uma delícia acompanhar a trajetória de Tuhu contada de maneira poética pelo grupo de atrizes.

Andando de praça em praça, de parque em parque, o grupo está lá na Buenos Aires até o final de maio, sempre aos sábados e domingos, às 15h. No final, vale dar uma contribuição para que eles continuem levando suas histórias pelas praças da cidade.

Confira cenas no vídeo abaixo.

 

Escrito por Equipe da Folhinha às 10h22

Comentários () | Enviar por e-mail | No palco | PermalinkPermalink #

No caldo do Palavra Cantada

O que tem na sopa... do Palavra Cantada? Tem boas rimas, arranjos sofisticados e diversão garantida no caldo musical da dupla Sandra Peres e Paulo Tatit.

Em 2009, eles completam 15 anos de estrada. E a comemoração é feita com show novo e tudo. O primeiro é domingo (dia 10/5), às 18h, no HSBC Brasil (tel. 0/xx/11/4003-1212), em São Paulo, com ingressos que custam de R$ 50 a R$ 120.

No show "O Melhor da Palavra Cantada", o público poderá cantar com os hits de todos os discos da dupla, além de conhecer canções inéditas (fresquinhas). Quais? "Água", "Sou um Bebezinho" e "Obrigada" são algumas delas.

No vídeo abaixo, Sandra e Paulo falam da carreira, do espetáculo novo e de outros planos e ainda cantam. Confira!

 

Escrito por Equipe da Folhinha às 19h43

Comentários () | Enviar por e-mail | Conta outra? | PermalinkPermalink #

Herói da picape

Depois do sucesso dos games com controle sem forma de guitarra e bateria, tem novidade na área dos games musicais. É o "DJ Hero", jogo semelhante a "Guitar Hero" e a "Rock Band", em que você ataca de DJ com controle que imita as picapes dos profissionais. Tem até um site para quem quiser mais informações no futuro. Ainda não tem data de lançamento nem plataformas confirmadas, mas por lá dá para ver que ele sai para Nintendo Wii, PlayStation 3 e Xbox 360.

O controle seria o da imagem abaixo. Dizem que no repertório entram hip hop e dance e que os jogadores vão poder fazer versões de músicas conhecidas.

E aí, será o pessoal da música eletrônica vai arrasar tanto quanto os roqueiros?

Escrito por Equipe da Folhinha às 18h00

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Era Uma Vez" de verdade

Divulgação

 

Já imaginou se todas as estouras malucas, divertidas, tristes ou de aventura que seus pais contam para você na hora de dormir de repente virassem realidade? Pois é exatamente isso que acontece no divertido filme “Um Faz de Conta que Acontece” (Disney), que chega este mês hoje às locadoras e estará disponível para venda em agosto.

Boa parte do que acontece nas histórias do tio é resultado dos palpites dados pelas crianças, que vão transformando os personagens e os acontecimentos como bem imaginam -e tem jeito mais legal de "ouvir" história?

Divulgação

Por telefone, a Folhinha conversou com a atriz mirim Laura Ann Kesling, 8, que interpreta Bobbi. Confira abaixo.

Que tipo de filme você mais gosta de ver?
Gosto de filmes com histórias de fantasia, como esse. Não gosto nada de filmes assustadores e com monstros, só dos felizes.

Se um dia você for escrever seu próprio filme, como será a história?
Hmmm... Acho que seria sobre sereias e de como elas gostam de nadar. É porque eu gosto muito mesmo de nadar, então ia gostar de fazer um filme em que eu ficasse um tempão numa piscina!!!

Como eram as filmagens? Era muito difícil?
Não foi nada difícil porque eu gosto muito de estar no set e de atuar. Eu memorizava minhas falas com a ajuda da minha mãe e do meu professor do estúdio e estava pronta para começar.

Você se divertia gravando?
Muito! Era bem engraçado! Eu gostava muito de brincar com os porquinhos-da-índia. De segurá-los e fazer carinho neles. Eu não cheguei a ver todos os animais que aparecem no filme, mas mesmo assim os porquinhos-da-índia eram os meus favoritos porque era divertido atuar com eles, como quando um deles deles entrava na minha cama e eu podia brincar com ele.

   Curiosidade

Divulgação

Nos extras do DVD tem seções dedicadas exclusivamente aos atores mirins e aos lindos porquinhos-da-índia. Lá você vê, por exemplo, que ensinar truques para os bichinhos não foi tarefa fácil. Para ensiná-los a andar na esteira, por exemplo, foram necessárias três semanas. Já para a sequência em que Bugsy toca um sino e depois entra na cama, foi preciso o dobro do tempo. Para que eles aprendessem a primeira parte, o treinador escondeu cenouras no sino. Assim, toda vez que eles puxavam a cordinha do sino, ganhavam uma guloseima. E os treinadores garantem: os porquinhos fizeram tudo sozinhos! Só os olhos esbugalhados é que são fruto de efeitos especiais.

Escrito por Clarice Cardoso às 20h42

Comentários () | Enviar por e-mail | No palco | PermalinkPermalink #

Entre no mapa!

 
 

Rafael Hupsel/Folha Imagem

A semana foi animada na Folhinha. É que está todo mundo empolgado com o lançamento do projeto Mapa do Brincar, que vai reunir as brincadeiras de crianças de norte a sul do país. Para isso, é fundamental a sua participação.

Na Folhinha de amanhã (dia 2 de maio), você vai encontrar todas as informações para fazer parte desse projeto. E, aqui no nosso blog (clique no botão do Mapa do Brincar), você também descobre tudo para não ficar de fora desse mapa, que até ganhou uma turminha bem animada, que se mexe para lá e para cá - brinca de pega-pega, pular corda, bolinha de gude...

São os bonecos articuláveis feito pela artista plástica Fernanda Simionato, que foi convidada a entrar na nossa roda de brincadeiras. Quer saber mais sobre os bonecos do Mapa do Brincar? Veja o vídeo a seguir.

 

Escrito por Equipe da Folhinha às 12h45

Comentários () | Enviar por e-mail | Mapa do Brincar | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Blog da Folhinha O blog da Folhinha é um espaço virtual para interação das crianças com o suplemento impresso publicado pela Folha de S.Paulo aos sábados. É produzido pela editora, Patrícia Trudes da Veiga, pela editora-assistente, Gabriela Romeu, além de outros colaboradores.
Mapa do Brincar

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha Online.